anuncie

7 de setembro de 2020

OPERÁRIO PERDE UM DOS ANTEBRAÇOS EM ACIDENTE DE TRABALHO NA MINERADORA CMOC BRASIL; FATO OCORREU NA TARDE DO ÚLTIMO SÁBADO (05)

De acordo com informações, trabalhador foi fazer algum procedimento rotineiro em uma correia transportadora, teve a mão puxada pelo equipamento e fatalmente perdeu todo o atebraço. Foto: Facebook – Thiago Silva/Reprodução.

Mais um grave acidente de trabalho foi registrado na mineradora CMOC Brasil no início da tarde do última sábado (05), onde um trabalhador de idade não informada perdeu um dos seus braços.

De acordo com informações, o acidente ocorreu no terminal da mineradora, quando o operário trabalhava numa esteira, onde teve seu antebraço arrancado.

O trabalhador foi levado para a unidade hospitalar da cidade de Catalão, onde passou por cirurgia e seguia internado.

Não é a primeira vez que acidentes graves acontecem dentro da mineradora CMOC, vamos relembrar alguns dos mais graves acidentes, inclusive com perdas de vidas de colaboradores.

De acordo com representantes do Sindicato Metabase, que representa os trabalhadores em mineração, as causas do acidente estão sendo investigadas, porém, não podem dar maiores detalhes, pois até o momento do nosso contato, eles ainda não haviam conversado com o trabalhador.


CMOC BRASIL SE MANIFESTOU POR MEIO DE NOTA

Catalão, 5 de setembro de 2020 – A CMOC informa com profundo pesar que um acidente ocorrido, nesta manhã, no Terminal de fertilizantes, em Catalão, acabou ferindo um de seus empregados que trabalhava na unidade.

O profissional recebeu prontamente os primeiros socorros por parte da equipe interna e, na sequência, foi imediatamente transferido para o devido atendimento no Hospital São Nicolau. A empresa está prestando todo o suporte necessário para o empregado acidentado, que se encontra fora de risco de morte, bem como para seus familiares.

Os motivos do acidente estão sendo apurados e, ao final das investigações, todas as medidas cabíveis serão tomadas para eliminar as causas identificadas.

Segurança é um dos principais valores e prioridade absoluta da companhia, que reitera seu compromisso de trabalhar fortemente, todos os dias, por um ambiente de trabalho seguro a todos os seus empregados e demais profissionais. ASSESSORIA DE IMPRENSA DA CMOC.

 

ACIDENTES GRAVES E FATAIS NA MINERADORA

EM JUNHO DE 2015, ENGENHEIRO MORREU SOTERRADO

Ângelo Preira da Silva Junior, na época com 35 anos de idade, morreu soterrado por lama em mineradora no dia 11 de junho de 2015. Foto: TV Anhanguera/Reprodução.

No dia 11 de junho de 2015, o engenheiro Ângelo Pereira da Silva Junior, de 34 anos, morreu soterrado por lama na mineradora, na época, a empresa pertencia ao grupo Anglo América, onde trabalhava.

Na época, segundo o Corpo de Bombeiros, o engenheiro inspecionava uma espécie de aterro quando a terra úmida cedeu. Os brigadistas da mineradora começaram a realizar a retirada da vítima, mas estimam que ela tenha ficado soterrada por cerca de uma hora.

Nossa equipe chegou e deu todo o apoio necessário, fizemos em conjunto com eles o trabalho de remoção e conseguimos retirar toda a terra e lama dele. Entregamos direto para a equipe médica que tomou as providências para encaminhamento dele ao hospital’”, explicou o major Warley Martins – Comandante do Corpo de Bombeiros de Catalão no dia do acidente.

Ainda segundo os bombeiros, o engenheiro foi levado pra o Hospital Nasr Faiad, mas chegou ao local já sem vida. O engenheiro deixou a esposa que estava grávida de gêmeos.


OPERÁRIO DE TERCEIRAZADA MORREU EM ACIDENTE DE TRABALHO ENQUANTO FAZIA MANUTENÇÃO EM TUBULAÇÃO DE ÁGUA

João Batista Rodrigues, 63, sofreu traumatismo craniano e já teria chegado sem vida em unidade hospitalar particular de Catalão. Foto: Redes Sociais/Reprodução.

Um trabalhador morreu na tarde do dia 21 de novembro de 2018, na mineradora Niobrás do grupo CMOC Brasil, em Ouvidor, após sofrer um traumatismo craniano, durante um acidente de trabalho no momento em que realizava uma manutenção nas tubulações de água, quando uma peça se desprendeu e atingiu o operário.

João Batista Rodrigues, 63 anos de idade, foi levado para o pronto atendimento de um hospital particular da cidade, onde segundo informações, médicos teriam tentado reanima-lo, mas ele não resistiu e teve óbito confirmado.

A empresa Zamec, terceirizada da mineradora, disse à época em nota enviada para uma emissora de TV local, que o trabalhador era experiente e capacitado e detinha de experiência, afirmando o ocorrido como uma fatalidade.


TRABALHADOR TEVE 90% QUEIMEIDO FALECENDO UMA SEMANA DEPOIS DO ACIDENTE NA MINERADORA CMOC

Também em dezembro de 2018, um homem de 35 anos de idade, teve 90% do seu corpo queimado, sofrendo queimaduras de 1º e 2º grau, em um incêndio no setor de preparação para reação com pó de alumínio, na empresa mineradora CMOC Brasil, empresa que detém o direito de concessão para a exploração mineral do nióbio e fosfato nos municípios de Catalão e Ouvidor.

Na época, devido às restrições de acesso as informações, o que se soube, é que o local onde o trabalhador estava, pode chegar a temperatura altíssima.

O trabalhador, Leonardo Bezerra dos Santos, 35 anos de idade, foi hospitalizado e transferido para o Hugol, em Goiânia, onde faleceu uma semana depois do acidente.


NÃO SERIA A HORA DE MUDAR AS ESTRATÉGIAS NA SEGURANÇA DO TRABALHO DENTRO DA MINERADORA? 

Foto: Reprodução.

A grande quantidade de acidentes graves narrados acima, dos quais, a maioria teve registro de vítimas fatais, isso em um curto espaço de tempo, mostra que alguma coisa não está dando certo na questão de segurança do trabalho dentro da empresa, e mais do que colocar fotografia de Técnico de Segurança sorrindo com braços cruzados em sua página do Facebook no dia de celebração do Dia do Técnico em Segurança do Trabalho, o correto é descruzar os braços, e interessante seria publicar a quantidade de tempo que não se tem registro de acidentes na empresa nessa data. E claro, é hora de pensar em novas estratégias para a segurança de seus colaboradores, pois os fatos narrados acima, foram registrados nos últimos 5 anos, e somente do ano passado até o momento, já foram duas mortes dentro da empresa, além de mais esse acidente grave, isso é o que chega ao conhecimento nosso.

 

 

Escrito por: Badiinho Filho