anuncie

22 de janeiro de 2016

Autoescolas de Goiás preparam para ir à Justiça contra simuladores nesta segunda, 25

Escrito por: Thais Dutra/Diário de Goiás

Foto: Reprodução

simulador-direcao

O presidente do Sindicato das Autoescolas de Goiás, Jader Neves, informou nesta quinta-feira (21) que os representantes de Centros de Formação de Condutores (CFC’s) e o próprio Sindicato irão acionar o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) na Justiça contra a Resolução que determina a exigência de simuladores de direção veicular, em uma ação coletiva.

“Estamos reunindo os documentos de cada CFC para entrar com mandado de segurança. Primeiramente vamos pedir que excluam Goiás da lista de Estados em relação à exigência do simulador ou o prazo mínimo de seis meses para adequação das autoescolas”, disse Jader Neves.

Segundo o presidente do Sindicato, essa Resolução do Denatran prejudica milhares de pessoas. “Até emissão de CNH foram bloqueadas nos Detrans pelo Denatran. Isso não pode”, afirmou Jader.

Ao mesmo tempo em que os representantes irão lutar na Justiça, será feita a negociação com empresas que vendem simuladores para Goiás. De acordo com Jader, o grande problema da aquisição dos equipamentos é de que as empresas não conseguem atender a demanda.

“O bom vendedor fala que tem o simulador, mas nós sentimos que não tem. Existem CFC’s em Minas [Gerais] que contrataram os simuladores, mas não receberam os equipamentos. Então, nós vamos conversar com as empresas e vamos pedir um documento por escrito falando quando vão disponibilizar o equipamento”, explicou.

Detran-GO

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) informou ao Diário de Goiás que têm nomes e telefones de empresas que atendem Goiás para indicar às autoescolas. No entanto, sobre a questão de acionar a Justiça, o Detran não irá se manifestar.

Valores

De acordo com o presidente do Sindicato, o valor dos simuladores varia de R$ 40 mil a R$ 45 mil. Com a exigência do equipamento, serão exigidas que o candidato ao processo de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) a realização de cinco aulas no mínimo.

“Hoje, é exigido que o candidato faça 25 aulas práticas. Então, você vai tirar cinco aulas, que ele poderia estar fazendo no carro, e colocar no simulador, que dura só 30 minutos. Enquanto a aula no veículo é de 50 minutos. Sem contar que tira o salário do próprio instrutor”, comentou.

Segundo Jader Neves, a aula prática com veículo custa aproximadamente R$ 35, enquanto a aula com o simulador irá custar entre R$ 50 e R$ 60. “Ao final do processo, o candidato terá um acréscimo de R$ 300, R$ 350 a mais para obter a CNH”, disse o presidente.

Empresa

O representante em Goiás da empresa Realdrive, Guilherme Cardoso, explicou ao Diário de Goiás que a empresa, e outras duas representantes que atuam no Estado, tem total condição de atender toda a demanda das autoescolas goianas.

“Nós conseguimos atender toda a demanda, mas essa aquisição de última hora pode causar um desgaste. Em outubro de 2015 eu lancei uma promoção e enviei para todas as 700 autoescolas que atuam em Goiás, mas nenhuma se interessou”, afirmou.

Segundo Guilherme, a empresa consegue atender tanto Goiás como está fazendo negócios com o Tocantins e Maranhão. “Existe muita política envolvida. A pretensão das autoescolas era derrubar a liminar, por isso não compraram os simuladores antes, quando foi divulgada a Resolução, em junho do ano passado”, argumentou.

O empresário ressaltou que há facilidades para a aquisição dos equipamentos como parcelamentos. Há empresas que fazem o financiamento, de acordo com Guilherme, em até 48 vezes aos representantes de CFC’s. “Eu também tenho uma linha própria de crédito, parcelamos em até seis vezes no boleto bancário”, disse.

O valor atual para a venda de cada simulador é de R$ 39,869 mil, na Realdrive. No entanto, Guilherme destacou que há a possibilidade de fazer diversas negociações, como a locação do equipamento, entre outros.