• 64 99927 3817
anuncie

5 de dezembro de 2018

Prefeito e moradores de Três Ranchos promoveram protestos para impedirem demolições de casas na beira do lago

O Prefeito de Três Ranchos, Hugo Deleon de Carvalho, se juntou a centenas de moradores de sua cidade para promoverem um ato de manifesto contra a Companhia Energética de Mingas Gerais (CEMIG), com o objetivo de impedir que as demolições de casas a beira do lago continuassem, porém, uma grande edificação conhecida como 14 Bis foi jogada ao chão, onde cerca de 12 famílias moravam e trabalhavam. 

A concentração ocorreu em frente à Prefeitura de Três Ranchos, onde autoridades do município e moradores fizeram as suas falas de repúdio a Cemig.

Hugo disse que trata-se de uma luta da cidade, explicando que as demolições vieram após as ações judiciais que a Cemig moveu contra proprietários que invadiram a área a cota 661 da Cemig, que é do reservatório, porém, segundo o prefeito, as invasões foram feitas de boa fé e feitas por falta de esclarecimentos e orientações da própria Cemig, que na época das construções das casas, não foram feitas as orientações aos seus proprietários e até a própria prefeitura, informando onde poderia serem feitas as construções e que agora apareceram com as medidas extremas, medidas considerada como danosa e sem resultado prático, que trazem prejuízos tanto para a Cemig quanto para Três Ranchos.   

Segundo Hugo, a prefeitura protocolou ontem mesmo na Cemig, um ofício convocando-a para uma audiência pública, para que o assunto seja debatido e encontrem uma saída menos extrema. Deleon disse que para ser obter resultados, era necessário a mobilização da população, dos caseiros, dos donos das residências, para que as demolições não fossem permitidas. Veja o vídeo:

Vereador Vinícius Calaça Soares – Calacinha, disse que conversou com o advogado que representa a Cemig, o qual disse que eles (Cemig) estão em um caminho intercalado, porque a Cemig não é responsáveis por fechar e fazer o soltamento da represa, e que trabalham conforme a regularização da Agência Nacional de Energia, então, eles estariam sofrendo uma ação do Ministério Público Federal (MPF), com relação a degradação do meio ambiente, e segundo Calacinha, estariam usando ação como defesa. Calacinha teria sugerido, já que não existe previsão do lago chegar mais ao seu limite, que a Cemig abrisse uma negociação para que os donos das casas comprassem o terreno, o que evitaria prejuízos de ambas as partes, e a resposta teria sido que o interesse público seria superior do que o interesse particular.

“Existe uma divergência de dois interesses público, que é o interesse público da nossa população de Três Ranchos e o interesse da geração e custeio de energia, então acho que possa ser até ser uma divergência jurídica, pois está emanando dois poderes público e, eu acho, que quem está perdendo mais é a população de Três Ranchos, que precisa muito desse lago aqui”, disse Calacinha, emocionado ao falar que no local onde foi demolido trabalhavam e viviam 12 famílias.

Evanberta Pereira da Silva, caseira na beira do lago há cerca de 27 anos, disse estar entristecida e preocupada com as demolições, pois gerará muito desemprego, somente no local onde ela cuida, serão cinco pessoas que irão perder o emprego, as quais terão suas vidas afetadas de forma negativa. Assista o depoimento:

Hebér da Silva, caseiro na beira do lago há cerca de 22 anos, também teme perder sua principal renda de sustento de sua família. Assista o vídeo: 

O Blog do Badiinho tentou conversar com o advogado da Cemig que estava no local da demolição da edificação do 14 Bis, porém, ele afirmou que estava impedido de conceder entrevistas. 

Vereador Calacinha disse ao Blog do Badiinho, que ao todo serão demolidas 61 edificações na beira do lago de Três Ranchos. 

Observação: Em um dos nossos vídeos feitos em Três Ranchos, onde uma casa estava sendo demolida pela Companhia Energética do Estado de Minas Gerais (CEMIG), ao vermos maquinários trabalhando no local, citamos que tratava-se de suposto suporte da concessionária MGO Rodovias, porém, trata-se de máquinas de uma empresa terceirizada que executava o serviço.

Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho
Foto: Blogueiro Badiinho


Escrito por: Badiinho Filho