16 de abril de 2013

Entrevista com o superintendente da SAE, César da PC.

César Câmara 2

Atendendo a um convite do vereador Valmir Pires (PSDC), o superintendente da SAE, César José Ferreira, participou de uma sessão da Câmara Municipal de Vereadores de Catalão, no inicio do mês de abril. Ele falou do trabalho frente ao órgão e sanou algumas dúvidas dos parlamentares, sendo a principal delas, sobre as reclamações da qualidade da água.

É bom lembrar que recentemente, o Excelentíssimo senhor presidente da Câmara, o vereador Deusmar Barbosa, apresentou em uma sessão uma garrafa contendo uma água suja e questionou bastante a qualidade da água. O mais curioso foi que na sessão de terça-feira,9, ao convocar César Ferreira para a mesa, o presidente da casa se retirou e só retornou quando o superintendente da SAE deixou a Câmara ou seja, o questionador não ouviu a reposta do superintendente da SAE.

Após sua participação na sessão, César atendeu a toda imprensa

DSC_0072

Blog do Badiinho: O senhor veio atendendo o convite de quem?

César Ferreira: Foi um convite do legislativo assinado pelo vereador Valmir e outros vereadores.

B.B: Como o senhor avalia sua participação?

C.F: Eu vejo com muito positivismo, porque a Câmara tinha alguns questionamentos, os quais precisavam ser realmente esclarecidos para nossa população. O legislativo é a caixa de ressonância das vozes e dos ouvidos da nossa sociedade, então eu tenho um respeito muito grande por essa casa e vim e virei, quantas vezes for necessário, para estar esclarecendo nossas situações no que diz respeito a água e esgoto de Catalão.

B.B: Quais os principais questionamentos feitos a SAE-Superintendência de Agua e Esgoto de Catalão?

C.F: Olha, os principais questionamentos são os que a gente ouve no momento, que é o problema com a falta de água em alguns bairros e também o problema da cor amarelada da água, também em alguns bairros. Temos que deixar bem claro para a população é que são ocorrências pontuais, são quatro ou cinco bairros no total de mais de cem bairros na cidade de Catalão, com problemas. Essas reclamações são pertinentes, ninguém aqui quer tampar o sol com a peneira e ninguém aqui esta furtando do compromisso. Porém, nós tínhamos sérias dificuldades no que se refere ao tratamento da água em Catalão. Algumas mudanças já foram feitas e as alterações irão refletir nos próximos 20 ou 30 dias em nossa cidade. Também outras mudanças estão sendo programadas e novos investimentos estão sendo projetados para um futuro muito próximo.

B.B: Assim que o presidente Deusmar Barbosa lhe convidou para compor a mesa, ele se retirou da sessão. Qual sua avaliação desse episódio bizarro?

C.F: O fato não me deixou de forma alguma constrangido, mas acho que é a política e ele tem sua escolha partidária, e eu tenho a minha. Respeito isso no presidente do Legislativo e tenho certeza, que ele também respeita minha posição. Hoje sou funcionário da atual administração, defendo a atual administração e continuarei defendendo. Ele é membro de um partido de oposição e tem de fazer o papel de oposição. Agora, eu acho e aí, é a minha concepção, de que ele deveria ter participado da sessão, mas certamente, Deusmar deve ter tido algum outro motivo para se ausentar e estaria com certeza resolvendo outros problemas.

B.B: O senhor achou deselegante ele não ter ouvido suas declarações?

C.F: Olha é questão de foro íntimo. Eu acho que como representante do Legislativo, principalmente como presidente desta casa de leis, ele deveria ter participado da sessão. Mas, eu respeito e volto a repetir, eu respeito a posição do presidente Deusmar. Eu acho que ele tem o seu pensamento e as suas posições e isso precisa ser levado em consideração.

B.B:  Em termos de investimentos, o que o senhor anunciou a curto prazo, foi apenas o barramento do sistema de capacitação?

C.F: Não, nós estamos adquirindo uma estação, uma estação modular de tratamento de água, a qual está em processo licitatório. É uma estação modular que vai tratar um terço da capacidade nossa de água, um terço do consumo diário de Catalão será tratado por esta estação modular. Com o investimento, estaremos reduzindo o volume de água tratada, na estação antiga, e com isso, nós teremos uma maior qualidade de toda água distribuída na cidade de Catalão. Isso deve acontecer em torno de 120 dias. A compra demora cerca de 30 dias, pois é um processo licitatório, e a instalação do equipamento é em torno de 90 dias.