3 de junho de 2021

EM CATALÃO E REGIÃO, TEMPO INSTÁVEL COM OSCILAÇÕES NAS TEMPERATURAS PERMANECERÁ NOS PRÓXIMOS DIAS; PREOCUPAÇÃO É COM QUEDA DA UMIDADE RELATIVA DO AR

De acordo com o coordenador do Laboratório de Climatologia da UFCAT, em Catalão e nos municípios da região, temperaturas vão variar entre os 16º C e 32º C e a umidade relativa do ar poderá registrar baixas acentuadas e ficar na casa de 20 a 30%. Foto: Cristina de Mesquita.

As condições climáticas dos últimos dias tem sido com uma mistura de noites, madrugadas e início das manhãs com temperaturas mais baixas, com tardes quentes e com aquela sensação de estarmos estufa, esse tempo seco, derruba drasticamente a umidade relativa do ar, acarretando além do incomodo, problemas respiratórios, ressecamento da pele e uma série de outras questões sentidas pelo nosso organismo.

A notícia não muito boa, é que esse tempo quente e seco em meio a quedas de temperaturas, vai continuar por esses primeiros dias de junho, explicando o professor Rafael Ávila, coordenador do Laboratório de Climatologia da Universidade Federal de Catalão (UFCAT), que a umidade relativa do ar vai estar entre 20 a 35%. Já com relação à temperatura, ela estará oscilando entre os 16º C à 32º C.

O homem do tempo, professor da UFCAT, Rafael Ávila, disse  ainda que “as condições do atmosférico na região Centro Sul do Estado de Goiás para início de junho 2021 serão de sol, nebulosidade variável e temperaturas máximas em elevação no período da tarde, umidade relativa do ar em declínio no período da tarde, com previsão de índices baixos alcançando níveis de alerta”.

“Os prognósticos apontam para um mês de pouquíssima possiblidade de pancadas de chuvas, mas vamos ficar atentos para a previsão a ser publicada com notícias sobre como vai ficar a previsão do tempo na segunda quinzena”, explicou o coordenador do Laboratório de Climatologia da UFCAT, Rafael Ávila, que forneceu as informações ao Badiinho com base nos dados da Secretaria de Estado de Meio e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD) e do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (CIMEHGO).


VÃO AÍ ALGUMAS DICAS PARA VOCÊ CUIDAR DA SUA SAÚDE NESSE PERÍODO DO ANO


1 – MANTENHA A HIDRATAÇÃO

Para evitar a desidratação, procure beber muita água, mesmo sem estar com sede. Além disso, na hora das refeições, escolha alimentos (frutas e vegetais) ricos em água. Melão, melancia, laranja, abobrinha, entre outros, são bons exemplos. É importante, também, ter muita atenção à hidratação de crianças e idosos.

Ao sair de casa, leve sempre uma garrafinha de água, evitando ficar longos períodos sem hidratação.


2
INVISTA EM ALIMENTOS SAUDÁVEIS

Outro cuidado importante é evitar alimentos muito salgados ou condimentados, que podem causar retenção de líquidos e aumento da pressão arterial.


3 – UMIDIFIQUE O AMBIENTE Umidifique o ambiente

Espalhe panos (toalhas) úmidos ou mesmo baldes com água pelos ambientes da casa, especialmente nos quartos, durante a noite. Uma alternativa, mais eficiente, é utilizar um umidificador de ar.

4 – COMBATA O RESSECAMENTO DAS VIAS AÉREAS

Esse é um cuidado essencial para evitar a congestão nasal e reduzir o risco de doenças respiratórias. Para tanto, basta aplicar soro fisiológico nas narinas, algumas vezes ao dia ou sempre que sentir desconforto. Mais uma vez, idosos e crianças merecem atenção especial.

O uso de nebulizadores ou inaladores, apenas com soro fisiológico, também é bastante eficiente para a umidificação das vias aéreas.

5 – EVITE A EXPOSIÇÃO SOLAR 

No verão, ou nos dias quentes de inverno, evite se expor diretamente ao sol. Caso o faça, utilize um chapéu e mantenha a hidratação.

6 – NÃO FAÇA ATIVIDADES FÍSICOS NOS HORÁRIOS MAIS SECOS 

A prática de exercícios físicos deve ser evitada entre 10h e 16h, especialmente se for ao ar livre, em centros urbanos, onde a concentração de poluentes no ar é naturalmente maior. Prefira o início da manhã ou fim da tarde.

7 – HIDRATE A PELE

Utilize produtos específicos para hidratar a pele do rosto e do corpo, pelo menos uma vez ao dia. Para evitar o ressecamento, banhos com água muito quente não são recomendados.

8 – FAÇA UM BOM CONTROLE AMBIENTAL EM SUA CASA

Para minimizar o risco de problemas respiratórios, é fundamental eliminar poeira, ácaros, pelos de animais e outros agentes causadores de alergias respiratórias. Para tanto, as principais recomendações são: mantenha a casa limpa e arejada; abra as janelas para permitir a entrada de sol;

ao fazer a limpeza, procure utilizar aspiradores ou panos úmidos, para não levantar poeira; evite, sempre que possível, o uso de ar-condicionado, que tende a ressecar o ar ainda mais; evite o uso de carpetes, tapetes, cortinas ou mesmo bichinhos de pelúcia expostos em prateleiras, pois acumulam muito pó; troque roupas de cama e toalhas de banho com maior frequência, pois os ácaros se alimentam de restos de pele e cabelos humanos.

9 – EVITE LOCAIS FECHADOS  

Embora atualmente ainda existam restrições às aglomerações, com o retorno das atividades econômicas muitas pessoas voltarão às suas ocupações profissionais e os eventos também devem voltar a ocorrer. Porém, em dias de baixa umidade, quando as vias áreas estão ressecadas, o risco de infecções disseminadas em ambientes fechados aumenta.

Caso a permanência em tais locais seja imprescindível, procure adotar as mesmas medidas de controle ambiental usadas em sua casa, como abertura de janelas para melhor circulação do ar. Além disso, intensifique os cuidados para hidratação das vias aéreas e consuma mais água.

Como você percebeu, o tempo seco pode trazer graves consequências à saúde, agravando os sintomas de doenças respiratórias e causando outros problemas, como dor de cabeça, sangramento nasal, risco cardíaco, entre outros. Por isso, é fundamental investir nos cuidados preventivos.

 

Escrito por: Badiinho Filho