10 de junho de 2020

DETENTO DE 44 ANOS DE IDADE, SUSPEITO DE FAZER FILMAGENS DA PRÓPRIA FILHA DE 11 ANOS NO BANHO, FOI ENCONTRADO MORTO NO PRESÍDEIO DE CATALÃO

Detento de 44 anos de idade, que estava preso por suspeita de crime sexual, foi encontrado morto dentro de banheio do pátio da Unidade Prisional de Catalão. Foto: Thiago Silva – D.F/Reprodução

O suspeito de filmar a própria filha de 11 anos de idade no banho, e que estava preso na Unidade Prisional de Catalão desde o dia 28 de maio, após a Polícia Civil efetuar a prisão em flagrante, depois que a filha maior de idade teria denunciando o homem na delegacia de polícia, foi encontrado morto em um dos banheiros do pátio do estacionamento, durante o banho de sol.

No dia da denúncia apresentada contra o suspeito, a Polícia Civil esteve na casa dele acompanhada do Conselho Tutelar de Catalão, e ao recolher o celular, encontrou arquivados no mesmo, filmagens antigas e recentes da criança nua.

De acordo com informações, o suspeito que tinha 44 anos de idade, foi encontrado com sinais de enforcamento, e após os agentes prisionais encontrarem o suspeito já sem vida, a Polícia Civil foi acionada e o Instituto Médico Legal (IML) de Catalão, fez a remoção do corpo após a Polícia Técnica Científica realizarem os procedimento de perícia.

Em nota, a 4ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informou que a “direção da Unidade Prisional de Catalão (UPR) realizou as devidas notificações às autoridades competentes e apura a ocorrência para aplicação de sanção disciplinar ao autor do crime, na forma da lei. A ocorrência e o suspeito da autoria do crime, sob custódia com base na Lei nº 11.343/2006 (Lei de Tóxicos), foram encaminhados à Polícia Civil para investigação e providências necessárias”.


VEJA A NOTA COMPLETA DA DGAP:

Morte de Custodiado – Unidade Prisional Regional de Catalão

A 4ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informa que já foram tomadas as devidas providências em relação ao óbito de um dos custodiados da Unidade Prisional Regional (UPR) de Catalão, encontrado sem sinais vitais, na manhã desta quarta-feira, 10/06, em um dos banheiros do pátio do estabelecimento penal, durante o banho de sol.

A direção da UPR realizou as devidas notificações às autoridades competentes e apura a ocorrência para aplicação de sanção disciplinar ao autor do crime, na forma da lei. A ocorrência e o suspeito da autoria do crime, sob custódia com base na Lei nº 11.343/2006 (Lei de Tóxicos), foram encaminhados à Polícia Civil para investigação e providências necessárias.

O custodiado que foi a óbito cumpria pena na unidade com base no artigo 217 (crime sexual) do Código Penal Brasileiro (CPB).

Goiânia, 10 de junho de 2020.

Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP)
Comunicação Setorial

 

RELEMBRE O CASO

A Polícia Civil de Goiás, através da equipe de policiais civis da Central de Flagrantes de Catalão/9ª Delegacia Regional de Polícia, na noite dia 28 de maio, prenderam em flagrante pelos crimes de Exposição da Intimidade Sexual e Ameaça no âmbito da Lei Maria da Penha, um suspeito de 44 anos de idade.

Segundo a investigação, no início da noite de ontem, a vítima, uma menina de 11 anos de idade, que mora com o pai desde que a mãe faleceu há cerca de 02 anos, com sua irmã, maior de idade, foram até Polícia Civil e comunicaram que durante o banho da criança, percebeu que o celular de seu pai, ora investigado, estava no bolso da calça gravando-a.

De imediato, o Conselho Tutelar e a equipe da Polícia Civil se deslocou até a casa do suspeito, onde o localizou e apreendeu o celular, o qual, ao ser analisado, foram encontrados na “lixeira” do mesmo diversos vídeos com datas variadas, inclusive dois deles com data de ontem (28.05.2020), contendo imagens do banho da vítima. Em um deles, gravado em 23.05.2020, o suspeito também havia registrado imagens da vítima, sua filha, nua durante o banho. Ainda durante as diligências, a equipe da PC tomou conhecimento de que o suspeito havia dito para familiares e vizinhos que se “perdesse a guarda da filha” faria mal à mesma.

Diante da situação de flagrância, o aparelho celular contendo os vídeos foi apreendido, o suspeito recebeu voz de prisão, foi conduzido à Central de Flagrantes de Catalão, onde foi autuado em flagrante pelos crimes dos arts. 147, caput, CP e art. 216-B, CP, todos c/c art. 5º, I, da Lei 11.340/06. A vítima foi atendida pelo Conselho Tutelar, que a entregou aos cuidados da irmã adulta. O investigado possui diversas passagens policiais, dentre elas: arts. 129, 147, 217-A, todos do CP e em situação de violência doméstica.

O aparelho celular será submetido a exame pericial e o suspeito foi encaminhado ao sistema prisional à disposição da Justiça.


Escrito por: Badiinho Filho