anuncie

9 de setembro de 2015

Concluído inquérito sobre morte de Cristiano Araújo e Alana

Escrito por: Thais Dutra – Diário de Goiás

Foto: Reprodução 

17474160

Será apresentada nesta quinta-feira (10) a conclusão do inquérito policial sobre o acidente que vitimou o cantor sertanejo Cristiano Araújo e a namorada, Allana Moraes, no dia 24 de junho de 2015, na BR-153, em Goiás. Na ocasião, serão apresentados os laudos periciais e técnicos pedidos pela equipe de investigação.

De acordo com a assessoria da PC, a apresentação será feita pelo delegado responsável pelo caso, Fabiano Jacomelis, titular da Delegacia de Polícia Morrinhos. Além disso, a Polícia Técnico-Científica fará uma exposição sobre a perícia realizada no local do acidente.

No dia 31 de agosto foi divulgado o laudo técnico do módulo computadorizado do carro de Cristiano Araújo, que apontou que a Range Rover estava a 179 quilômetros por hora cinco segundos antes de os airbags serem acionados. O laudo foi produzido na Inglaterra, onde os dados do computador de bordo foram analisados.

 

O caso

No dia 24 de junho o cantor Cristiano Araújo, a namorada e duas pessoas se envolveram em um acidente de carro na BR-153, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina, em Goiás. O cantor e a namorada foram arremessados no momento do capotamento. O motorista e o outro passageiro sofreram ferimentos leves.

A partir daí, a Polícia Civil iniciou uma investigação para apurar as causas do acidente. Seis dias após o acidente, o delegado Fabiano explicou à imprensa que o motorista do veículo, Ronaldo Miranda, teria pedido rodas à Tiago Ferreira dos Santos, amigo do cantor, as rodas.

“Ronaldo [Miranda, o motorista] viu as rodas e pediu. Foi feito um reparo nas rodas, quando Tiago estava em Porto Alegre. Lá ele viu que a roda tinha amassado e foi feito reparo. Quando as rodas iam para o carro de Cristiano Araújo foi feito um novo reparo”, afirmou na época.

No dia 10 de julho foi informado também que os dados do computador de bordo da Range Rover Sport, que o cantor estava no momento do acidente, já tinham sido encaminhados para a Inglaterra, para análise e elaboração de laudo.

Os dados foram retirados do veículo no dia 29 de junho e enviados para São Paulo e de lá para a sede da montadora na Europa para decodificação dos registros. A análise poderá revelar a velocidade exata no momento do acidente, o funcionamento dos air bags e dos freios.

Na época, o motorista admitiu estar acima da velocidade permitida da via, que é 100 quilômetros por hora, no momento em que o veículo saiu da pista, mas não soube precisar a velocidade exata.