18 de abril de 2022

ÍNDICE DE EMBRIAGUEZ AO VOLANTE CRESCE 700% NAS BRs GOIANAS DURANTE A SEMANA SANTA

Casos de embreaguez ao volante aumentaram sete vezes. Foto: PRF Goiás

O índice de casos de embriaguez ao volante nas BRs de Goiás cresceu 700% durante o feriado prolongado da Semana Santa na comparação com o mesmo período de 2021. As informações são de um levantamento realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), que analisou a movimentação de motoristas de quinta-feira (14) à domingo (17) deste ano e e cruzou com informações coletadas no ano passado. A informação foi publicada no jornal Mais Goiás.

De acordo com os dados, em 2022, os agentes rodoviários registraram 112 flagrantes de motoristas que dirigiam seus veículos sob o efeito do álcool. No ano passado, esse número foi de apenas 16 condutores bêbados. Ou seja, houve um aumento de sete vezes na comparação dos dois períodos.

Inclusive, segundo a polícia rodoviária, a única pessoa que morreu nas rodovias federais goianas neste ano, foi um motociclista de 40 anos, que antes de se envolver no acidente que o matou, havia sido autuado por se recusar a realizar o teste do bafômetro.

O acidente que causou a morte do motociclista aconteceu durante a noite da última sexta-feira (15), na BR-153, cidade de Itumbiara. A vítima conduzia a moto na contramão e invadiu a pista onde um carro trafegava, com isso, os dois veículos bateram de frente. O motociclista não tinha habilitação para dirigir.

Os policiais também informaram ter encontrado uma embalagem de cachaça dentro de uma sacola de plástico no local do acidente.

Leia também: 

-BR-050: TRÊS PESSOAS FORAM NOTIFICADAS AO RECUSAREM REALIZAR O TESTE DO BAFÔMETRO; SEIS CRIANÇAS FICARAM FERIDAS APÓS CARRO CAIR EM RIBANCEIRA

Ultrapassagens perigosas

Flagrantes de motoristas embriagados não foram os únicos a apresentarem crescimento no feriado deste ano. Dados da PRF também mostram que a quantidade de ultrapassagens indevidas também subiu.

De quinta-feira à domingo, os agentes rodoviários realizaram 681 autuações à condutores que arriscaram vidas ao realizarem ultrapassagens proibidas e perigosas. Durante o mesmo período de 2021, esse número foi de 256 casos. Ou seja, a corporação constatou um aumento de 166%.

O levantamento também indicou um aumento mínimo de motoristas que usam o celular enquanto dirigem pelas rodovias federais goiana. Em 2021, foram 18 flagrantes, enquanto neste ano foram 19. Ou seja, um caso a mais.

Equipamentos de segurança

Apesar dos aumentos preocupantes, o estudo da PRF também revelou infrações que apresentaram queda durante a Semana Santa deste ano. É o caso da falta do uso de cinto de segurança e a falta do uso da cadeirinha infantil.

Em 2021, os agentes registraram um total de 2.943, sendo que destas, 249 eram de motoristas e passageiros que não utilizavam o cinto de segurança. Em 2022, esse número caiu para 107 casos.

Já nos casos de crianças flagradas fora do assento indicado, foram realizadas 20 autuações no ano passado. Em 2022, o número abaixou para 16 ocorrências.


Aumento de acidentes

Outro ponto analisado pelo estudo da PRF, foi a quantidade de acidentes e vítimas nas BRs de Goiás neste feriado. Ao todo, foram registrados 25 acidentes em 2022, enquanto no ano passado, esse número de 20.

A quantidade de vítimas de 2022, que havia demonstrado superioridade nos dois primeiros dias da Semana Santa, entretanto, não se manteve e foi inferior a 2021.

Ao todo, 18 pessoas ficaram feridas em acidentes na Semana Santa deste ano e uma pessoa morreu. Apesar de não ter sido registrado nenhum óbito em 2021, 21 pessoas que se machucaram nos acidentes daquele ano.


Exemplo de imprudência

Um caso que chamou a atenção dos policiais neste ano, aconteceu na tarde de sexta-feira (15), na BR-153, na cidade de Uruaçu, região norte de Goiás. Um carro ocupado por nove pessoas bateu no meio fio da rodovia, capotou e caiu numa ribanceira. Com o impacto, um adulto e uma menina de sete anos tiveram ferimentos graves. Outros ocupantes do veículo sofreram lesões e escoriações diversas.

Além da imprudência de estarem em um veículo superlotado, dois homens e uma mulher e seis crianças entre três e dez anos, não usavam cinto de segurança.


Publicado por Badiinho Moisés/com informações do Mais Goiás