11 de agosto de 2016

Estudantes de Enfermagem ocupam o prédio da Direção da UFG Catalão em protesto por melhores condições de funcionamento do curso e mais professores efetivos

Escrito por: Roberto Tavares/Bão pra Sabão

Foto: Reprodução

Enfermagem ocupa

Desde a manhã de hoje, 11 de agosto, estudantes do curso de Enfermagem da UFG/Regional Catalão ocupam o prédio da Direção do Câmpus em protesto por contratação de professores efetivos e melhores condições de funcionamento do curso.

Eles denunciam que desde 2009 vêm solicitando à equipe gestora da UFG medidas que resolvam os problemas de precarização das condições de funcionamento e a falta de professores no curso (que hoje possui 12 docentes no quadro e necessitaria de mais 17 vagas, conforme levantamento da própria UFG).

A situação se agravou ao longo dos anos e hoje um grande número de estudantes corre o risco de não integralizar corretamente a graduação, principalmente no que diz respeito ao Estágio Curricular Obrigatório.

É inadmissível que uma situação tão grave continue a ocorrer em uma Instituição Federal de Ensino Superior, ainda mais em um campus que pretende se tornar Universidade autônoma.

O curso tem desenvolvido suas atividades ao longo dos anos de forma precária, contando com professores voluntários (que não recebem nenhum remuneração) e substitutos (que possuem vinculo temporário), com um terço do orçamento necessário para as demandas específicas de um curso da área de Saúde. Um curso não consegue sobreviver apenas com o apoio de docentes voluntários, principalmente um curso de tamanha importância e contribuição social como o curso de Enfermagem. É preciso contratar docentes efetivos já!!

Manifesto aqui minha solidariedade ao movimento dos estudantes e chamo também toda a sociedade a apoiar e participar dessa importante resistência pela qualidade da educação superior em nossa cidade, especialmente neste momento de emancipação e chegada de um curso de Medicina, que poderá enfrentar os mesmos problemas da Enfermagem se eles não forem solucionados antes da separação da UFG.