10 de junho de 2024

Em Goiânia, mais 60 policiais participam de curso de formação para integrarem batalhão da Rotam

Vice-governador Daniel Vilela participa da abertura da formação: “Rotam é motivo de orgulho para os goianos”. Foto: Rômulo Carvalho

Policiais militares iniciam um curso de formação destinado a integrar o batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam). O curso, composto por 64 participantes, tem uma duração estimada de quatro meses e foca em treinamentos específicos voltados para lidar com situações de gerenciamento de crises e combate ao crime organizado.

A aula inaugural do 21º Curso Operacional de Rotam ocorreu na manhã desta segunda-feira (10/06) no auditório da Associação de Magistrados do Estado de Goiás (Asmego). Os 64 policiais militares envolvidos na capacitação serão preparados para atuar em cenários de alto risco, fornecendo apoio às unidades de área e realizando policiamento tático nas regiões metropolitanas. O vice-governador do estado, Daniel Vilela, representando o governador Ronaldo Caiado, enfatizou a importância de estar em constante evolução para enfrentar os desafios impostos pelas novas formas de crime.

Ele destacou o compromisso contínuo do Governo de Goiás em garantir que as forças de segurança estejam devidamente preparadas para manter um desempenho de excelência, tornando-se uma referência nacional em segurança. O secretário de Segurança Pública, Renato Brum, ressaltou o papel crucial da Rotam na redução dos índices de criminalidade no estado, especialmente no combate ao crime organizado.

 

O curso, com duração de quatro meses, abrange diversos aspectos, incluindo patrulhamento tático, operações de inteligência e treinamento de atiradores designados. O Comandante-Geral da Polícia Militar, Marcelo Granja, enfatizou a intensidade dos treinamentos, que visam preparar os policiais para tomarem decisões precisas em situações de crise. Os alunos serão submetidos a um total de 807 horas de aulas, abrangendo disciplinas como gerenciamento de crises, direitos humanos, defesa pessoal, direção especial, Atendimento Pré-Hospitalar (APH), tiro policial e inteligência cibernética.

Escrito e publicado por: Badiinho Moisés