• 64 99927 3817
anuncie

30 de novembro de 2018

Duplicação da BR 050, sonho que virou pesadelo: acessos que serão construídos nos bairros Pontal Norte e Castelo Branco desagradam moradores

Na tarde de ontem, quinta-feira (29), foi realizada uma reunião entre técnicos da MGO Rodovias, vereadores, Prefeito Municipal, presidentes de associações de moradores, comerciantes e população do Pontal Norte e Castelo Branco. A reunião que aconteceu no auditório da Prefeitura Municipal de Catalão, foi para que técnicos da concessionária MGO Rodovias apresentassem como ficarão os acessos nos bairros Pontal Norte, Castelo Branco e no DIMIC, nos quais, não constam nestes projetos a construção de nenhum viaduto.

O coordenador de projetos e faixas de domínio da MGO Rodovias, Thiago Xavier de Carvalho, explicou que o trevo de acesso à Avenida Dr. Lamartine Pinto de Avelar já está em execução e deve ser entregue no primeiro semestre de 2019.

Moradores do Castelo Branco e outros 10 bairros perderão acesso direto pela Avenida José Marcelino para entrar e sair destes setores. Foto: Reprodução

Já no trevo do Posto JK, no projeto original, consta a desapropriação de todo a área de bombas de abastecimentos do Posto JK, com exceção de parte da edificação do restaurante, sendo necessária também, a desapropriação de uma concessionária (CAPRI), nesse mesmo projeto, segundo o coordenador de projetos, ele seria inviável devido aos impactos sociais, que seriam as desapropriações do Posto JK e da concessionária de veículos, ou seja, pensaram no que vão perder esses dois empreendimentos, deixando de pensar nos quase 13 mil moradores do Castelo Branco e adjacências.

No projeto atual, para quem vêm sentindo José Marcelino ao Castelo e aos outros 10 setores, essas pessoas terão que pegar a rodovia e ir até em um trevo em frente a antiga Irmãos Soares, para assim, conseguirem entrar nessa região da cidade, ou seja, para atender apenas duas empresas, que é o Posto JK e a Capri Veículos, as pessoas terão que continuar enfrentando o trânsito pesado da rodovia, e o pior, serão obrigados a trafegar na BR 050 para acessar essa região da cidade que detém de 11 setores com quase 13 mil moradores, pois será tirado o acesso direto via José Marcelino ao Castelo Branco. Já para quem vem do Castelo, Alvino Albino, Estrela e demais setores, terá que usar esse acesso e retornar para ter acesso a cidade.

Acesso ao bairro Pontal Norte, terão que ir até o Posto Comboio e voltar por uma distância de cerca de 400 metros para acessar o bairro e assim fazendo para sair do setor pela Avenida Luiz Ribeiro Horta. Foto: Reprodução

Já o acesso ao bairro Pontal Norte, será feito na rua paralela ao Posto Comboio, onde será construído um trevo com duas rotárias e, para entrar no setor pela Avenida Luiz Ribeiro Horta, as pessoas terão que fazer essas duas rotatórias, o que é inviável para os moradores e atenderá interesses dos proprietários do Posto Comboio. Mais uma vez o coordenador disse que teriam que desapropriar duas empresas na entrada do Pontal e a edificação onde estão instaladas as estruturas da Secretária Municipal de Saúde, ou seja, para poupar essas edificações, estão propostos a impactar negativamente a vida de mais de 4 mil pessoas que vivem no Pontal Norte.

O coordenador de projetos da MGO Rodovias, dizendo a título de esclarecimento, disse que em agosto de 2014 foi feito uma audiência pública no município de Catalão com a participação da comunidade, Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da própria MGO, onde segundo ele, o projeto original foi apresentado naquela oportunidade para a população local, afirmando também que teriam ficado a cargos de montar um comissão, o que segundo Thiago, não aconteceu. Porém, na verdade, o que aconteceu foi falta de transparência e de publicidade por parte da MGO, pois nesta última reunião ocorrida na última quinta-feira (30), ficou nítido e notório que não trata-se de inviabilidades por decorrência impactos sociais, mas sim, deixando a entender que estão buscando a atender a interesses de alguns empresários e deixando claro também, que eles  não estão se importando com os impactos negativos na vida de cerca de 20 mil pessoas que moram no Pontal Norte, Castelo Branco e Adjacentes.

Assista as explicações de como ficará os acessos nos projetos apresentados por técnicos da MGO Rodovias na última quinta-feira (29/11)

Sobre essa comissão de 2014, o vereador Paulo Moreira do Vale, disse que ela foi montada e que ele fez parte de tal comissão, e que um dos representantes da MGO na época, teria afirmado durante uma participação em um sessão na Câmara de Vereadores naquele ano, afirmando que o projeto estaria pronto e que só ouviriam a presidenta Dilma Rousseff naquela ocasião para possíveis alterações. O vereador na época, o questionou dizendo que Catalão era uma cidade de faculdade e que merecia respeito, porém, nunca mais o assunto voltou a ser discutido com a comunidade.

Uma coisa é certa, os moradores do Pontal Norte e do Castelo Branco saíram completamente insatisfeitos com o que viram, prometendo criar uma comissão entre os dois setores para aprofundar mais no assunto, pois quem está ganhando com os projetos é a MGO Rodovias que economizará com a não construção de viadutos, construindo apenas trevos com rotatórias e trincheiras, poupando também nas desapropriações que a gente sequer nem sabe quem irá arcar com as indenizações através de avaliações dos imóveis com valor de mercado.

Essa comissão a ser formada, disse que tentará marcar uma nova audiência com o Prefeito Municipal de Catalão, para tentar encontrar uma alternativa que entenderá toda comunidade. Caso não encontrem saída, concentraram suas forças para tentarem medidas judiciais, pois trata-se de uma obra em execução em rodovia que pertencente a união e não a concessionária que apenas detém da concessão para explorá-la por tempo determinado.

Veja fotos dos Projetos

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Escrito por: Badiinho Filho