• 64 99927 3817
anuncie

26 de março de 2020

PANDEMIA FAZ EMPRESÁRIOS BUSCAREM INFORMAÇÕES COM CONTADORES; DÚVIDAS SÃO SOBRE IMPOSTOS E TRIBUTOS

Contador e vice presidente de Registro do Conselho Regional do Estado de Goiás, Marcelo Cordeiro. Foto: Reprodução

CORONAVÍRUS – COVID-19|  O contador catalano e vice presidente de Registro do Conselho Regional do Estado de Goiás Marcelo Cordeiro, traz para a classe empresarial e trabalhadores, algumas orientações na área contábil sobre as principais alterações neste momento de pandemia de coronavírus.

A orientação da vez, é com relação aos vencimentos do Simples Nacional.

De acordo com Cordeiro, a parcela do Simples Nacional. A partir de abril, maio e junho, irá vencer os meses de outubro, novembro e dezembro, isso independente se é Micro Empreendedor Individual (MEI), ou se sua empresa se enquadra no Simples Nacional, a parcela de abril, poderá ser paga em outubro. A parcela do mês de maio poderá ser paga em novembro, e a do mês de junho poderá ser paga em dezembro.

Outra dúvida esclarecida pelo contador, é sobre a prorrogação somente dos impostos federais. O município de Catalão, nem o Governo Estadual, não comunicou nada ainda prorrogando prazos de pagamentos destes impostos.

Marcelo Cordeiro esclarece, caso o município e estado não anunciarem nenhuma medida prorrogando os prazos de 20/04, 20/05 e 20/06, estes impostos terão que serem pagos, ficando apenas a parte do Governo Federal poderão serem pagas nos meses de outubro, novembro e dezembro.

Outro tributo que já foi prorrogado, de acordo com Marcelo Cordeiro é o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que vence no dia 7 de abril, e os que vencerão em maio e junho, poderão serem pagos posteriormente, afirmando ele, que surgirão medidas até para parcelamentos, porém, não foi definido quais formas.

Com relação ao Guia da Previdência Social (GPS) e ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), não foram divulgadas nenhuma medida até o momento. Cordeiro acredita, que para as empresas do Simples Nacional, não mudará nada, e o GPS terá que ser pago normalmente no dia 20. Já para quem não se enquadra no Simples Nacional, ele acredita em uma redução nas alíquotas pequena, porém, somente da alíquota do sistema S que equivale a 5.8%.

Cordeiro, finaliza dizendo que aumentou muito a demanda nos escritórios de contabilidade, por conta deste cenário atual e é o momento do profissional orientar o empresário estrategicamente para tomar as decisões que absorvem um menor impacto no fluxo de caixa das empresas.

 

Escrito por: Badiinho Filho