• 64 99927 3817
anuncie

10 de março de 2020

CATALÃO NAS LEMBRANÇAS: PRINCIPAL RODOVIA QUE LIGA CATALÃO ATÉ A CAPITAL DE GOIÁS, GO 330, SÓ FOI ASFALTADA 50 ANOS DEPOIS DE GOIÂNIA COMEÇAR A SER ERGUIDA

Inauguração do asfalto Catalão-Goiânia (1984). Foto: Arquivo – ACL/Reprodução

CATALÃO NAS LEMBRANÇAS| A Academia Catalana de Letras recorda que, Goiânia começou a ser construída em 1934 e, somente 50 anos depois, foi asfaltada a estrada de Catalão até a capital. O fato representou um momento ímpar com impactos em toda a região sudeste que estava, até então, mais ligada ao Triângulo Mineiro do que ao próprio estado de Goiás. Na verdade, a região esteve marginalizada por um inexplicável esquecimento por parte dos governos estaduais. Catalão situava-se numa espécie de cotovelo isolado do restante do estado.

A redenção veio com a pavimentação asfáltica, em 1984, e com as alterações feitas no novo trajeto de ligação Catalão-Goiânia. A medida beneficiou uma vasta região de atividades agropastoris, comércio e indústrias de mineração.  Com a nova estrada, a distância entre Catalão e Goiânia ficou em torno de 260 km, diminuindo consideravelmente o tempo de percurso entre as duas cidades.

A nova rodovia foi implantada com muitas dificuldades. Mas, em todo o percurso, a obra de arte mais significativa foi a ponte sobre o rio Corumbá, com 204 metros de comprimento, nas proximidades de Pires do Rio. A sua execução obedeceu a um ritmo acelerado em apenas 70 dias, de acordo com jornais da época. A antiga e quase centenária ponte de ferro sobre o rio Corumbá não foi destruída pela sua importância histórica.

A rodovia recebeu o nome de Juscelino Kubitschek de Oliveira, ex-presidente criador de Brasília. Rodovia JK. O nome foi bem aceito porque Juscelino tivera uma ligação estreita com Catalão. A mudança da capital federal para Brasília amenizou o isolamento de Catalão e a abertura da BR-050 proporcionou acesso mais rápido com São Paulo e com o Distrito Federal. Também a ponte erguida sobre o rio Paranaíba significou muito para maior integração de Catalão com o Triângulo Mineiro.

Haley Margon e Íris Rezende. Parceiros na implantação da Rodovia JK. Foto: Arquivo – ACL/Reprodução

CATALÃO NAS LEMBRANÇAS| No dia da inauguração do asfalto para Goiânia, outubro de 1984, houve uma euforia generalizada que tomou conta dos moradores dos municípios beneficiados com a rodovia, dadas as significativas reduções de percurso e a sensível economia de combustível. Até então, deslocar-se de Catalão a Goiânia pela estrada de terra era uma aventura. Percurso longo, buracos, poeira ou lama, cansavam e incomodavam os viajantes.

A inauguração da Rodovia JK transformou-se em uma festa generalizada para toda a região sudeste do estado.

Em Catalão compareceram mais de 20 prefeitos e cerca de 40 mil pessoas, atendendo ao convite do prefeito Haley Margon que ofereceu um churrasco para toda a população, com 500 bois doados pelos fazendeiros da região da estrada de ferro. A euforia foi generalizada com a realização da obra.

Juscelino Kubitschek havia falecido no ano de 1976, em acidente automobilístico entre São Paulo e Rio de Janeiro. Mas a sua viúva Sarah Kubitschek esteve em Catalão no dia da inauguração da rodovia. Participou das solenidades, relembrando as antigas ligações do saudoso JK com Catalão. Foi uma festa inesquecível para quem dela participou.

Prefeitos de Goiânia, Nion Albernaz, e de Catalão, Haley Margon. Foto: Arquivo – ACL/Reprodução
Sarah Kubitschek e Íris Rezende. Foto: Arquivo – ACL/Reprodução
Discurso do governador em Catalão (1984). Foto: Arquivo – ACL/Reprodução
Haley Margon e Dona Joana na inauguração da Rodovia JK. Foto: Arquivo – ACL/Reprodução


Escrito por: Luís Estevam – Pres. Academia Catalana de Letras