• 64 99927 3817
anuncie

17 de janeiro de 2020

EM ANO DE ELEIÇÃO, CÂMARA DE CATALÃO MONTA PALANQUE ELEITORAL CHAMADO DE CEI DAS CESTAS BÁSICAS

Foto: Redes Sociais/Reprodução

Depois de passados 1 ano 4 meses do furto das cestas básicas, justamente no ano em que teremos eleições para Prefeito e Vereadores em todas as cidades do Brasil, a Câmara Municipal de Catalão montou um verdadeiro palanque eleitoral rotulado de Comissão Especial de Investigação (CEI da Cestas Básicas), na tentativa fracassada de querer dar uma resposta a passos lentos de um dos casos mais absurdos, o qual deveria ter acontecido na época em que aconteceu o furto, porém, naquele momento, a preocupação maior era com a eleição de escolha da nova mesa diretora, pois afinal, não é qualquer Câmara do Brasil que administra cerca de R$ 2 milhões reais todo mês, montante este, superior ao de muitas prefeituras.

Pois bem, o fato é, dos intimados a deporem no Palanque Eleitoral da última quarta-feira (15), nenhuma das três pessoas compareceram. Vereador e relator da CEI, Paulo Moreira do Vale ‘Paulinho’, em uma infeliz fala em entre linhas, atacou a imprensa de um modo geral, afirmando que “na hora de conversar fiado muita gente fala” …

A fala do nobre vereador, gerou por parte do Blog do Badiinho, algumas interrogações, sendo elas: Será que cobrar esclarecimentos da Justiça do furto de uma grande quantidade de cestas básicas que mataria a fome de muitas pessoas em situação de carência, é falar demais? Será que cobrar da Justiça para que aponte o nome dos envolvidos, inclusive do vereador que possivelmente teria receptado as cestas, é falar demais? Será que defender os mais carentes de corruptos, é falar demais? Tenho certeza que muitos que seguem há 9 anos nosso trabalho acham que não, pois é esse o papel da imprensa, mostrar, cobrar, estar sempre na busca por respostas, mesmo vivendo em uma cidade em que temos políticos no modo analógico, que tenta a todo custo, com pressões, ameaças e tentativas fracassadas de denigrir e tentar calar a imprensa, ou seja, tentativas de impedir o livre direito de exercer a democracia, sendo por meio da escrita ou da fala, ou seja, o livre direito de se expressar.

Com relação a estar in loco ou não em qualquer evento, pautar ou não pautar tal assunto, vai do modo operacional de trabalhar de cada veículo, pois afinal, todos têm sua linha editorial de atuação.

Agradando ou desagradando, continuaremos a cobrar das autoridades competentes, esclarecimentos do furto das cestas básicas, ocorrido em setembro de 2018, com a possível participação de um dos 17 vereadores, que teria receptado tais cestas básicas da Secretaria de Ação e Promoção Social.

 

Escrito por: Badiinho Filho