• 64 99927 3817
anuncie

28 de dezembro de 2019

CASO IASMIM COMPLETA 6 ANOS SEM SOLUÇÃO E ANO TERMINA SEM SEREM APONTADOS OS CULPADOS NO CASO DO FURTO DAS CESTAS BÁSICAS; VEJA NO BLOG DO BADIINHO A RETROSPECTIVA DE CASOS INSOLÚVEIS EM CATALÃO

Em Catalão alguns casos não solucionados chamam a atenção da nossa população, e como estamos na contagem regressiva para iniciarmos um novo ano, vamos fazer uma retrospectiva dos casos insolúveis em nossa cidade, a cidade do tudo acontece e da Justiça que não acontece.


CASO IASMIM

Iasmim Martins, na época com 8 anos, foi estuprada e morta no dia 9 de dezembro de 2013. O corpo da criança foi encontrado em uma construção do bairro Jardim Paraíso. Foto: Arquivo Pessoal – Reprodução/Blog do Badiinho

No dia 9 de dezembro deste ano, o absurdo caso da garota Iasmim Martins, na época com 8 anos de idade, completou 6 anos, e até hoje, sem os familiares e a população catalana conhecer o covarde que a estuprou e a matou com requintes de crueldade em uma construção do bairro Jardim Paineiras.

Caso estivesse viva, a pequena Iasmim estaria hoje com seus 14 anos de idade, vivendo as expectativas e aguardando com ansiedade, a chegada dos seus 15 anos. 


MORTE DE CÃES POR VÁRIOS BAIRROS POR ENVENENAMENTOS

Dezenas de cães em situações de abandono foram envenenados no dia 16 de abril de 2017. Foto: Arquivo/ Reprodução – Blog do Badiinho

Outro caso sem solução em que o responsável ou responsáveis seguem impunes, é o caso do envenenamento de dezenas de cães em situações de abandono, o ocorrido foi no dia 16 de abril de 2017 em diversos bairros da cidade de Catalão.


DESFALQUE NO CAIXA DO CRAC DE CATALÃO

No início de 2013, ônibus velho foi locado para transporte de jogadores. Foto: Arquivo – Reprodução/Blog da Verdade

Também seguem sem serem punidos, dirigentes do Clube Recreativo e Atlético Catalano (CRAC de Catalão), responsáveis por um desfalque milionário no time de futebol, fazendo com que fosse acumulada uma dívida trabalhista milionária, possibilitando com que seja possível até a penhora do estádio Genervino da Fonseca, patrimônio histórico e cultural da nossa cidade. Recentemente um verdadeiro teatro chamada de Comissão Especial de Investigação (CEI), foi feita em vários espetáculos pelos atuais vereadores, porém, nada ficou claro e a situação financeira do CRAC de Catalão continua a mesma.


ROUBO EM SINDICATO DE CATALÃO

Cerca de R$ 200 mil reiais foram roubados de cofre na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão no dia 11 de julho de 2018. Foto: Reprodução

Um pouco mais recente, foi o do roubo de cerca de R$ 200 mil reais na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (SIMECAT), localizada na Rua Moisés Santana, no bairro São João. Lá, no dia de 11 de julho de 2018, dois bandidos entraram, renderam um dos funcionários, e o obrigaram a abrirem o cofre, onde estavam cerca de R$ 200 mil reais, que segundo nota do próprio Sindicato, dinheiro este que seria para pagar ações judiciais e também para devolução de contribuição assistencial aos trabalhadores, pagamentos os quais já estariam programados pelo departamento financeiro.

Até hoje, não foi encontrada a dupla que promoveu o roubo.


FURTO DE CESTAS BÁSICAS NA SEDE DA AÇÃO SOCIAL COM POSSÍVEL ENVOLMENTO DE VEREADOR QUE TERIA COMPRADO OS ALIMENTOS

Em imagens que circularam nas redes sociais, pode-se ver uma camionete entrando em uma residência com várias cestas básicas na carroceria e depois a mesma camionete sai da residência sem nenhuma cesta básica na carroceria. Foto: Blog do Mamede/Reprodução

CASO DO FURTO DAS CESTAS BÁSICAS| E o caso mais recente de todos, e absurdo, ocorreu em Setembro de 2018, onde uma grande quantidade de cestas básicas foram furtadas da sede da Secretaria de Ação e Promoção Social, e mais absurdo ainda, é o possível envolvimento de um dos 17 vereadores de Catalão.

Na época, o prefeito em exercício, afastou um funcionário, porém, as autoridades responsáveis pelas investigações não apresentaram os responsáveis pelo furto das cestas, e nem o nome do vereador que possivelmente teria praticado o crime de receptação dos alimentos que mataria a fome de muitas famílias que vivem em situações de vulnerabilidades.

Foi prometido pelos atores do teatro municipal denominado de Câmara de Vereadores, mais um espetáculo denominado de CEI da Cestas Básicas, porém, o provável espírito de corporativismo e de proteção aos colegas, impedem o desempenho do principal e fundamental exercício do cargo de vereador, que é o de fiscalizar e proteger o dinheiro pago pelo povo através dos altos impostos, que por sinal, é um dos mais altos do planeta terra.

 

Escrito por: Badiinho Filho