• 64 99927 3817
anuncie

25 de novembro de 2019

GOIÁS: MULHER ESFAQUEIA MARIDO DA VIZINHA PARA DEFENDÊ-LA DELE

A mulher tomou a faca das mãos do homem e o atacou depois de ele tentar agredir a esposa com a arma branca. Foto: PMGO

Uma mulher foi autuada em flagrante na noite do último domingo (24/11) após golpear o marido da vizinha com um faca para defendê-la, em Aparecida de Goiânia. Ela teria tomado a faca das mãos do homem e o atacado depois que ele tentou agredir a esposa com a arma branca.

O caso ocorreu na noite de ontem no Setor Sítio Santa Luzia, em Aparecida de Goiânia. Conforme informações da Polícia Militar (PM), ao ser acionada e chegar ao local, se deparou com o indivíduo esfaqueado. Ainda segundo a PM, relatos dão conta que estava acontecendo uma festa na residência do casal e o homem teria tentado agredir sua esposa armado com uma faca.

Entretanto, neste momento, a vizinha, no intuito de defender a mulher, conseguiu tomar a faca das mãos do homem e o golpeou com a mesma arma.

A vítima foi socorrida pela viatura dos bombeiros até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA0 do Parque Flamboyant para receber atendimento médico. Já a autora e testemunha foram levadas para o 1° DP de Aparecida de Goiânia.

Apesar de o PM que atuou na ocorrência ter analisado o caso como sendo de legítima defesa de terceiros, a mulher acabou sendo autuada em flagrante pelo crime de tentativa de homicídio simples.

ALÉM DE CASO DE AGRESSÃO QUE MOTIVOU A MULHER A ESFAQUEAR MARIDO DA VIZINHA, EM ARAGARÇAS UM HOMEM FOPI PRESO APÓS AGREDIR MULHER COM CHUTES NO ROSTO

A Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) prendeu na manhã da última sexta-feira (22/11) um homem acusado de agredir companheira com chutes no rosto, em Aragarças, a 376 quilômetros de Goiânia.

O homem, de 52 anos, foi preso preventivamente pelo crime de lesão corporal praticado no âmbito doméstico e familiar, cometido contra a sua então companheira.

A vítima, companheira do agressor, ficou gravemente ferida. O delegado responsável pelo caso, Ricardo Galvão, informou que o investigado, durante uma desavença com sua então companheira, a agrediu violentamente com socos e pontapés, causando-lhe graves ferimentos físicos.

“Foi um ato de covardia que exigiu a tutela estatal”, declarou Galvão.

 

Escrito por: Redação/Dia Online