• 64 99927 3817
anuncie

20 de novembro de 2019

NOTA DO GOVERNO SOBRE O PROJETO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA QUE VISA CANCELAMENTO DA CONSESSÃO DA ENEL D; CONSUMIDORES DA REGIÃO SUDESTE DE GOIÁS CONTABILIZAM ENORMES PREJUÍZOS

Foto: Reprodução


Ontem, terça-feira (19/11), após a apresentação do Projeto que pede o cancelamento do contrato da empresa Enel Distribuição Goiás com o Estado de Goiás, o assessoria do Governo do Estado divulgou uma nota, na qual afirma que para realizarem um pronunciamento oficial, é aguardado o fim da tramitação da proposta na Casa de Leis. 

A Enel Distribuição está sendo alvo de inúmeras críticas tanto por parte de seus contribuintes quanto por parte de todos os líderes políticos, como o próprio Governador Ronaldo Caiado (DEM), deputados estaduais, prefeitos e vereadores de todo o Estado, em decorrência pela má qualidade nos serviços prestados pela empresa italiana em Goiás, a qual também detém de concessões nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e no Rio Grande do Sul. 

Se estava ruim com a Celg, na nossa região piorou mais ainda depois que a Enel D assumiu em 2017. No último final de semana com feriado, cerca de 70% da população de Catalão ficou sem água nas torneiras em decorrência de colapso no fornecimento de energia. Já em Nova Aurora, a população da cidade e da zona rural ficaram 44 horas no escuro. Também há relatos de interrupção no fornecimento de energia em várias comunidades rurais do município de Ouvidor, inclusive alvo de inúmeras críticas por parte dos vereadores, onde um deles chegou a relatar que teve produtor rural que chegou a colocar de alimento para os porcos, cerca de 1.500 litros de leite que perderam por falta de energia elétrica para fazer o resfriamento do produto. 

LEIA A NOTA COMPLETA DO GOVERNO DE GOIÁS 

O Governo de Goiás aguarda o fim da tramitação da proposta da Assembleia Legislativa, que visa a encampação da empresa Enel, para se pronunciar oficialmente sobre as ações a serem tomadas. Mas desde já faz questão de ressaltar as falhas da Enel. Sete milhões de goianos são prejudicados diariamente. Isso criou um clima insustentável para a empresa em Goiás, que não respeita o povo goiano que trabalha e produz para fazer nosso estado cada vez mais forte.

Todas essas ações comprovam mais uma vez que não houve um processo de privatização da Celg, que deveria melhorar o atendimento, mas uma ação orquestrada para enterrar esqueletos da empresa estatal, que foi dilapidada nos últimos 20 anos. Isso explica em parte o motivo dela ter sido entregue, a toque de caixa, a uma empresa sem compromisso com Goiás. Quem pagou a conta (salgada) foram os goianos, que não receberam um serviço de qualidade. Goiás pode ter certeza que o Governo vai agir.

 


Escrito por: Badiinho Filho