• 64 99927 3817
anuncie

8 de novembro de 2019

RAÇA NEGRA FAZ SHOW HOJE EM CATALÃO

Foto: Reprodução

Depois de 20 anos, os pagodeiros Raça Negra, que foram explosão na década dos anos 90, retornam a Catalão para show que acontece logo mais às 22 horas  no Clube da Acefértil.

O evento também contará com DJ e show da Banda Gato Preto, e está sendo promovido pelo empresário Flávio Pontes  (CFC Trê Poderes), pelo jornalista e apresentador do ‘Balanço Geral’ – TV Sucesso/Rede Record, Fernando Garcia, e pelo promotor de eventos, Hugo César Lemes.

No evento e hoje, será disponilizado dois ambientes, área com meses reservadas e área vip (pista), com acesso fácil aos bares e banheiros.

Segundo o empresário Flávio Pontes, todas as mesas já foram vendidas, mas as pesssoas que queiram assistir ao show do Raça Negra na noite desta sexta-feira (08/11), ainda conseguem comprar o seus ingressos, mas têm que correr, pois são limitados.

DEPOIS DE QUASE 20 ANOS, BANDA RAÇA VOLTA A FAZER SHOW EM CATALÃO

Foi no ano de 1999, quando ainda era permitido os shows nos comícios das campanhas eleitorais, que a Banda Raça Negra se apresentou no Largo do Rosário, em Catalão, ou seja, num evento político daquele ano. Naquela noite, milhares de pessoas foram assistir ao espetáculo dos grandes sucessos da época, e que até hoje, continuam emplacados entre as músicas mais tocadas no Brasil.

A prova deste sucesso todo que citamos acima, é que a principal música de trabalho da Banda Raça Negra, “Cheia de Manias”, é umas das principais trilhas sonoras da novela das 09h da Rede Globo, ‘A Dona do Pedaço’.

Quase 20 anos depois da apresentação, o empresário Flávio Pontes do Centro de Formação de Condutores –CFC Três Poderes, em parceria com o apresentador do Balanço Geral, da TV Sucesso/Rede Record, Jornalista Fernando Garcia e o promotor de eventos, Hugo Lemes,  resolveram diversificar os eventos na nossa cidade que é extremamente forte no estilo sertanejo, trazendo de volta a Catalão, a Banda Rança Negra, a qual foi uma explosão de sucesso no nosso país nas décadas de 90 e início dos anos 2.000.


SOBRE A BANDA RAÇA NEGRA

Foto: Reprodução

Foi a primeira banda de samba a tocar numa rádio FM com a música “Caroline”. Na década de 90, entrou para o Guinness Book com a canção “É tarde demais” devido a impressionante marca de mais de 600 execuções em rádios num só dia. Mas todo este sucesso teve uma pitada de ousadia: a incursão de instrumentos incomuns ao seguimento como naipes de metais. A popularização do samba nos meios de comunicação tem nome e sobrenome – Raça Negra!

A ascensão da banda para outros países veio com oitavo LP lançado também na Europa, Ásia e África, com as músicas “Preciso desse amor” (Luiz Carlos e Antônio Carlos Carvalho) e “É amor demais”(Elias Muniz e Luiz Carvalho), consagrando um dos maiores fenômenos musicais dos anos 90. Luiz Carlos sempre teve a batuta nas mãos para reger os passos do Raça Negra e é um ícone entre os nomes que surgiram posteriormente. Impossível falar em alguém que canta, toca e vive de samba que não tenha bebido da fonte dos Raça Negra.Este ano eles completam 34 anos de carreira e trazem na bagagem 12 vinis, 28 CDs e quatro DVDs e mais 36 milhões de discos vendidos.

Para comemorar esta carreira de sucessos em 2012 gravam um DVD repleto de convidados especiais: Alexandre Pires, Belo, Bruno (Sorriso Maroto), Léo Magalhães, Amado Batista a jovem e talentosa sambista Juliana Diniz, Michel Teló – este no auge do hit que ganhou o mundo: “Ai se eu te pego” –  e para completar os filhos de Luiz, Juliana e Raffa.

Já em 2014 surgiram com o projeto Gigantes do Samba unindo duas gerações: Raça Negra e Só Pra Contrariar com a formação completa inclusive, com Alexandre Pires no vocal. Mais um sucesso carimbado que ganhou o Brasil com uma turnê que percorreu todo o território nacional. No final de 2015 gravaram um CD chamado “Rei do Baile”, no trabalho a banda regravou músicas como “Pescador de ilusões” (Rappa), “De janeiro a janeiro” (Nando Reis) e “Fogo e paixão” (Wando). (Fonte: Assessoria do Raça Negra).

Escrito por: Badiinho Filho