• 64 99927 3817
anuncie

8 de novembro de 2019

PRF FALA SOBRE ACESSO DA BR 050 NO JK; MORADORES DO CASTELO BRANCO E ADJACÊNCIAS REIVINDICAM VIADUTO NO LOCAL COM PROSSEGUIMENTO DA AV. JOSÉ MARCELINO

Trevo de acesso ao Castelo Branco atualmente. Foto: Balanço Geral – TV Sucesso Rede Record/Reprodução

Na última quinta-feira (07/11), o programa ‘Balanço Geral’ da emissora TV Sucesso – Catalão/Rede Record, detalhou as obras de duplicação da BR 050, entre a divisa de Goiás/Minas até o município de Cristalina, dando destaque principalmente a respeito dos acessos nos bairros Pontal Norte, Castelo Branco e adjacências.

Segundo a reportagem, o perímetro urbano de Catalão só será duplicado, depois que a concessionária entregar a nova pista entre Catalão e a divisa com Minas Gerais, ou seja, os trabalhos neste trecho, só devem começar no segundo semestre de 2020. Enquanto as obras não chegam, os motoristas irão continuar passando pelo trevo de acesso ao bairro Castelo Branco, um dos pontos mais preocupantes, justamente por causa do número de acidentes.

“O trevo do JK, é o quilômetro 280,6, e sempre foi um local crítico para a PRF, em relação a quantidade de fluxo, e principalmente com relação a acidentes. Há pouco mais de 4 anos atrás, a PRF propôs uma alteração para a concessionária da época (MGO Rodovias), alterar aquele trecho de forma a passar somente um veículo por vez. Foram colocados aquelas marcas de canalização após alguns testes com cones, e verificamos que daquela forma ficava mais seguro, uma vez que os veículos que fossem cruzar, e que necessitavam aguardar junto ao canteiro central da rodovia, eles tinham uma área maior, que tornava aquele local de espera mais seguro. Então com essa alteração, o número de acidentes caiu drasticamente, e depois dessa alteração, nós tivemos o registro de apenas um acidente grave”, disse o Inspetor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Michael Rodovalho.

A respeito do que a PRF espera com a duplicação, o Inspetor da disse o seguinte: “Esperamos com essa duplicação da rodovia, passando pelo trecho urbano de Catalão, o número de acidentes seja praticamente zero, uma vez que nós não vamos ter cruzamento em nível, somente cruzamento em níveis diferentes, através de viadutos não exatamente naquele local (trevo do JK), mas próximo ali daquele local”, frisou o Inspetor Rodovalho.

Para os moradores do Pontal Norte, Castelo Branco e adjacências, a concessionária que administra a BR 050, deveria construir viadutos exatamente nos trevos de acessos, prolongando por exemplo, a avenida José Marcelino.

“Precisa sim, bastante, evita muito acidente, e até para os comércios aqui do bairro, seria muito bom”, disse uma moradora do Castelo Branco.

“Precisa, sem esse viaduto aí, como vamos atravessar essa BR, é acidente aqui todo dia”, destacou outro morador da região.

Os motoristas que precisam atravessar a rodovia todos os dias, reclamam bastante.

Moradores do bairro Castelo Branco e outros 14 setores do outro lado da BR 050, afirmam que um posto de combustíveis possa estar impedindo a construção do viaduto e consequentemente o proseguimento na Avenida José Marcelino. Foto: Balanço Geral – TV Sucesso Rede Record/Reprodução

“É muito perigoso, principalmente meio dia, às 17h e às 19h30”, afirmou uma moradora de um bairro próximo ao Castelo Branco.

“A gente fica parado 30, 45 minutos para conseguir passar para o Castelo Branco, sem contar o número elevado de acidentes que vem acontecendo ultimamente, envolvendo ciclistas, motociclistas, carros, caminhões. Um amigo meu simplesmente estava com o carro parado, e veio um caminhão e levou o carro dele” desabafou outro morador reivindicando o viaduto no local.

A concessionária disse que fez um estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental, como solicitado pela a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), porém, a empresa ainda não deu muitos detalhes, mas, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a duplicação do perímetro urbano, incluí viadutos em pontos estratégicos, garantindo mais segurança aos motoristas.

“O projeto que nós temos hoje, ou seja, apresentado para a PRF e que está até agora em análise, não está totalmente fechado, totalmente definido. Mas, diferentemente do que a maioria da população acredita, esse projeto não retirou o acesso das pessoas pela Avenida José Marcelino. Esse acesso será feito da mesma forma que é feito hoje, porém, a única diferença, é que as pessoas vão ter se deslocar um pouco mais para fazer a travessia da rodovia”.

“Em contrapartida, esse acesso será mais rápido, uma vez que os moradores não terão que esperar o fluxo da rodovia, para cruzar a BR 050, ou seja, quem vem pela José Marcelino sentido Castelo Branco, ele vai acessar uma via lateral, a qual estará presente em todo o trecho de pista dupla no trecho urbano, e acessando essa pista lateral, e de frente a antiga Irmãos Soares, terá um viaduto, a pessoa irá cruzar com segurança a rodovia por cima, e vai retornar sentido Castelo Branco por alguns metros. Então é um deslocamento de cerca de 500 metros entre os dois trechos, que aumenta. Já quem vem sentindo contrário (Castelo Branco/Centro), coincidindo ali com a GO 330 para Ouvidor e Três Ranchos, vai ter um viaduto, e pessoa irá até a rodovia, acessar novamente a via lateral, chegando no viaduto ele vai cruzar a pista, sem necessidade de acessar a rodovia, pegar a via lateral e fazer o acesso de forma segura”, explicou o Inspetor Rodovalho.

Inspertor da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Michael Rodovalho. Foto: Balanço Geral – TV Sucesso Rede Record/Reprodução

A reportagem também revelou que mesmo com a duplicação da BR 050, nos trechos de Catalão a Domiciano Ribeiro, de abril deste ano até o atual momento, 21 capotamentos e 20 saídas de pistas foram registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF)


ASSISTA A REPORTAGEM

Escrito por: Badiinho Filho/Com informações do Balanço Geral/TV Sucesso – Rede Record