• 64 99927 3817
anuncie

30 de outubro de 2019

“PRESIDENTE É ACUSADO POR ALGO QUE NÃO TEM ORIGEM E NEM PROCEDÊNCIA”, DISSE CAIADO AO DEFENDER BOLSONARO

Governador Ronaldo Caiado (DEM), defendeu Bolsonaro em evento da OVG. Foto: Reprodução

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), defendeu, na manhã desta quarta-feira (30/10), o presidente Jair Bolsonaro da reportagem divulgada na noite de terça-feira (29) no Jornal Nacional que revelou que o nome do presidente foi citado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro (PC-RJ) no Caso Marille. Caiado participa do evento da Organização das Voluntárias de Goiás (VG) que lança uma plataforma de voluntariedo ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro. 

“O presidente é acusado por algo que não tem origem e nem procedência”, afirmou o governador. Caiado questionou a entrevista e disse ainda que a matéria não tem sustenção. “Onde querem chegar? Desestabilizar a estrutura democrática porque não ganharam as eleições? Essa matéria sequer podia ser publicada. O presidente estava na Câmara dos Deputados votando durante todos os dias da semana. Qual é o objetivo disso é informar? Essa matéria não poderia ter sustenção, no momento em que o presidente não estava no Rio de Janeiro, estava em Brasília”, disse Ronaldo Caiado. 

Ronaldo Caiado chegou a pedir que a primeira-dama enviasse um ‘recado’ ao presidente e disse que já passou por situações semelhantes. “Michelle, pode dizer ao presidente que já passei por situações  semelhantes e como homem temente a Deus, isso faz com que a gente se firme cada vez mais. E podem saber que todos aqueles que estão pensando que poderão amanhã desafiá-lo do poder, estão enganados porque ele tem o apoio da população, e do Estado de Goiás, do governador e de todas as lideranças políticas do Estado”. 

TENTATIVA DE ‘DESESTABILIZAR’ PRESIDENTE

Caiado avaliou como inadmissível a publicação da matéria pelo Jornal Nacional e falou em responsabilização dos meios de comunicação. Para ele, se o processo segue em sigilo, não poderia ter sido divulgado, principalmente, durante uma viagem de Bolsonaro ao exterior. “É inadimissível essa prática de tentar desestabilizar o presidente que está há uma semana no exterior buscando acordos internacionais para desenvolver cada vez mais o país e de repente, é acusado de algo que não tem procedência, nem origem, mas é lançado. Isso causa uma inconformidade muito grande, minha gente”. 

Sobre responsabilização da imprensa, Caiado disse que “precisamos exigir cada vez mais”. Questionou os interesses em levantar dúvidas sobre o comportamento de uma pessoa, ainda mais sendo o Presidente da República. “Até você explicar isso, numa viagem internacional… qual é o objetivo? Se um processo segue em sigilo, como é que esse sigilo é quebrado no momento em que ele está no exterior? Minha gente, nós goianos costumamos dizer que jabuti não sobe em árvore, ou é enchente ou é mão de gente. Isso aí, mais do que nunca, isso aí é montado para tentar, cada vez mais achar que a população toda já se posicionou a favor das mudanças substantivas que estão sendo feitas”, completou. 

LIVE NA MADRUGADA 

Após a divulgação da matéria, o presidente da República fez uma live no Youtube e no Facebook às 3h50, diretamente da Arábia Saudita, se defendendo. Visilvelmente nervoso, Bolsonaro disse ter sido pego de surpresa, atacou a Rede Globo e outros veículos da imprensa e afirmou que existe algo errado na condução do processo pela PC-RJ. 

Jair Bolsonaro também disse, embasado em reportagem da Revista Veja, que quem teria vazado as informações para a reportagem do Jornal Nacional teria sido o atual governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. “O seu objetivo (Witzel) é nos destruir. É o tempo todo assim”, afirmou. 

Logo após, ele continou a perguntar qual o objetivo da imprensa, citando diretamente a Rede Globo e a Revista Época, ao tentar fazer os tais ataques, como classificou Bolsonaro. “Vocês, TV Globo, o tempo todo infernizam a minha vida, p**. Onde vocês querem chegar eu sei. Vocês não têm vergonha na cara. Essa patifaria 24 horas por dia contra a minha pessoa”, defendeu o político em um dos momentos que esteve mais exaltado na transmissão. 

 

 

Escrito por: Redação/O Popular