• 64 99927 3817
anuncie

17 de setembro de 2019

CATALÃO COMPLETA 120 DIAS SEM CHUVA; SUPERINTENDE DA SAE AFIRMA QUE NÃO IRÁ FALTAR ÁGUA NESTE PERÍODO DE ESTIAGEM

Segundo o Superintendente da SAE, Rodrigo Margon, represa do Ribeirão Pari está cheia. Foto: TV Sucesso/Reprodução

Já são 120 dias sem chuva no município de Catalão, um calor insuportável, mas apesar desse tempo seco, a barragem do Ribeirão Pari está bastante cheia.

É da barragem do Ribeirão Pari que saí a água que abastece praticamente toda a cidade, a qual, segundo o Superintendente da Superintendência de Água e Esgoto (SAE), Rodrigo Margon, atualmente está sendo captada água apenas da represa que é ligada ao Ribeirão Pari.

Superientende da Superintendência de Água e Esgoto de Catalão. Foto: TV Sucesso/Reprodução

“Como é época de seca, já estamos há quase quatro meses sem chuva, fizemos uma programação para que, quando havia chuva, a gente captasse mais do Ribeirão Samambaia, e assim salvasse, guardasse o volume de água da barragem nossa do Ribeirão Pari. Neste momento de seca, o volume do Samambaia está bem baixo, então nós tomamos a decisão de não captarmos mais água lá, para não secar o leito e prejudicar todas as pessoas que dependem desse ribeirão, e estamos captando exclusivamente no Ribeirão Pari”, disse Rodrigo Margon.

“Como nós Fizemos essa programação, guardamos nosso reservatório para essa época de seca, a barragem do Ribeirão Pari está bem cheia, estamos com mais de 90%, e não vamos ter nenhum problema com relação a falta de água”, assegurou o Superintendente da SAE de Catalão.


MAS E AS RECLAMAÇÕES DE MORADORES DE ALGUNS BAIRROS SOBRE A FALTA DE ÁGUA?

SAE pede que população não desperdicem água. Foto: TV Sucesso Catalão/Reprodução

De acordo com o Superintendente da SAE, a falta de água em alguns bairros na cidade, ocorre geralmente por dois motivos: “Ou por queda de energia por parte da Enel, pois infelizmente temos muitas quedas de energia em nossa rede, e como a maior parte da nossa água é bombeada, se a gente não tem energia, não conseguimos bombear. Inclusive nós estamos com plano de comprar um gerador, só que esses geradores são extremamente caros, e estimamos que gastaremos mais de R$ 2 milhões de reais, e estamos colocando no nosso planejamento para o ano que vêm. Outro ponto que pode faltar água eventualmente, são manutenções, se rompe uma rede no bairro A, B ou C, a gente tem que fechar as tubulações que corre naquele bairro e algumas vezes até nos bairros próximos, para fazermos os reparos, e a partir daí demanda um certo tempo para essa água ser reposta, ou seja, até as tubulações serem preenchidas, e são nesses momentos que a população poderá sentir a falta de água, mas aquela falta d’água que a gente vivia dias, nós não teremos mais porque a gente se preparou para que isso não volte a ocorrer”,

Do Ribeirão Pari até a estação de tratamento, a água percorre cerca de 20 quilômetros, de onde saem 18 milhões de litros de água que abastecem milhares de residências em Catalão.

Mesmo não havendo com o abastecimento nesse período de seca, as pessoas não devem desperdiçar água. “Nós temos o bairro Castelo Branco, lá o nosso provimento de água é em linha, ou seja, a água chega, vai preencher as casas mais próximas, para depois as casas que estão mais a fundo do bairro serem preenchidas. Então, é naquele exemplo que eu dei, tivemos que fechar a linha do Castelo Branco, na hora que a gente retoma, as primeiras casas vão recebe água, só que se essas casas consomem demais nesse momento, a água chega e as pessoas começam a lavar calçadas, lavar seus carros e um milhão de outras coisas que a gente sabe que as pessoas fazem, e por direito, acaba que as casas que ficam mais ao fundo do bairro, demoram mais a terem suas caixas d’águas preenchidas”, explicou Rodrigo Margon, responsável pela Superintendência Municipal de Água e Esgoto (SAE).


ASSISTA A REPORTAGEM DA TV SUCESSO CATALÃO: 

Escrito por: Badiinho Filho/Com informações da TV Sucesso Catalão – Emissora afiliada da Rede Record