• 64 99927 3817
anuncie

1 de setembro de 2019

PRESO ALUNO ACUSADO DE MATAR PROFESSOR DENTRO DE ESCOLA EM ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS; PRISÃO FOI NA TARDE DE SÁBADO NO NORTE GOIANO

Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

O aluno acusado de matar o professor e coordenador pedagógico Bruno Pires de Oliveira foi preso na tarde deste sábado (31/8), em Nova Roma, norte de Goiás.

De acordo com a Polícia Militar de Goiás (PMGO), o jovem estava em uma fazenda de parentes. Os policiais receberam uma denúncia anônima e chegaram ao local à paisana, momento em que conseguiram efetuar a prisão do suspeito.

Anderson da Silva Leite Monteiro, de 18 anos, disse que foi orientado a se esconder para sair do flagrante. Na manhã deste sábado a Justiça de Goiás já havia decretado a prisão preventiva do estudante.

O jovem é acusado de matar o professor esfaqueado dentro do Colégio Estadual Machado de Assis (Cema), em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. 

O velório e sepultamento do professor aconteceu na tarde deste sábado (31/8), em Taguatinga, no Distrito Federal.


RELEMBRE O CASO DO ALUNO ACUSADO DE MATAR PROFESSOR DENTRO DE ESCOLA 

Professor e coordenador pedagógico Bruno Pires de Oliveira, 41 anos de idade, foi morto a facadas dentro do colégio onde trabalhava, em Águas Lindas de Goiás. Foto: Arquivo pessoal/Reprodução

Um aluno de 18 anos matou esfaqueado o coordenador pedagógico do Colégio Estadual Machado de Assis, em Águas Lindas de Goiás, na sexta-feira (30/8).

De acordo com o delegado Cleber Martins, responsável pela investigação, o jovem não teria ficado satisfeito ao ser cortado de um projeto esportivo do colégio.

“O coordenador teria sido um dos que tinha defendido a saída dele. Em razão disso, ele foi procurar o professor, que atua como coordenador, e deu uma facada nele dentro da escola, na frente de outros funcionários”, disse o delegado.

Ao ser esfaqueado, Bruno entrou na sala e disse que “Anderson Grandão” tinha o atacado. Uma das professoras nem acreditou e chegou a sair para ver se encontrava o garoto. O apelido “Grandão” foi usado pelo educador pois Anderson é bem mais alto que os colegas da turma. Ele cursa do 9º ano, com alunos entre 14 e 15 anos de idade.

Após o crime, alunos, pais e colegas, além de prestar homenagens ao docente, resolveram protestar e pedir mais segurança.

Escrito por: Redação/Dia Online