• 64 99927 3817
anuncie

27 de agosto de 2019

CORPO DE BOMBEIROS RETIRAM DO LAGO DAS BRISAS, EM BURITI ALEGRE, DESTROÇOS DO HELICÓPTERO QUE CAIU NO LAGO; QUEDA PROVOCOU MORTE DE TRÊS PESSOAS

O acidente, que aconteceu no último sábado (24/8), causou a morte de três pessoas. Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros 

De acordo com  o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBMGO), os destroços do helicóptero, que caiu no Lago das Brisas, em Buriti Alegre, a 186 quilômetros de Goiânia, foram retirados do local na tarde desta segunda-feira (26/8).

acidente, que aconteceu no último sábado (24/8), causou a morte de três pessoas. Segundo informações de testemunhas, a aeronave fazia manobras arriscadas momentos antes da queda.

Veja o vídeo: 


Ação

De acordo com informações da corporação, os restos do helicóptero estavam a 400 metros da margem do lago e a uma profundida de 8 metros, aproximadamente.

Nesta ação, seis mergulhadores do Corpo de Bombeiros atuaram em revezamento por duplas. De acordo com o CBMGO, o resgate dos destroços durou cerca de duas horas e foi preciso utilizar quatro bombonas de 200 litros.

A corporação demorou quase uma hora para conduzir a aeronave do local do acidente até a margem do lago.

Ainda segundo a corporação, os destroços assim que foram retirados da água foram passados para o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).


Relembre o caso: Helicóptero caiu em Lago das Brisas e deixou três pessoas mortas

Ricardo, Mickaelly e Miriam morreram na queda de helicóptero em Buriti Alegre, Goiás — Foto: Reprodução/Facebook

O acidente aconteceu no último sábado (24/8), quando o helicóptero, que carregava o piloto mais três pessoas, caiu no Lago das Brisas, em Buriti Alegre.

Na ocasião, uma pessoa sobreviveu ao acidente. Em depoimento, ela lembrou que foi arremessada da aeronave antes da queda.

Segundo o delegado Ricardo Chueire, responsável pelo caso, a sobrevivente contou que ouviu um estrondo, logo a aeronave perdeu sustentação e logo em seguida caiu.

Ela conseguiu nadar até um determinado local, onde pediu socorro.


Laudo

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Itumbiara, Miriam Carolina Fontana, de 33 anos, e Mickaelly Damasceno, de 24, morreram por asfixia por afogamento.

Ricardo Magalhães Barros, de 40 anos, que conduzia a aeronave, além do afogamento, também sofreu politraumatismo.

 

Escrito por: Redação/Dia Online