• 64 99927 3817
anuncie

12 de agosto de 2019

FIM DO SISTEMA DE ENSINO DE JOVENS E ADULTOS COM AULAS PRESENCIAIS PARA O ENSINO MÉDIO; EJA EM GOIÁS SERÁ POR MEIO DE ENSINO A DISTÂNCIA

Foto: Reprodução

No último dia 1º de agosto a Secretaria de Educação (seduc) soltou uma portaria que suspende matrículas no segundo semestre de 2019 para turmas presenciais do programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA). No documento, consta que a medida é para a reelaboração de políticas educacionais na modalidade de ensino.

Nesse contexto, as turmas seriam apenas no modo de Ensino à Distância (EAD). Desde então, o assunto levantou debates de professores da rede estadual de ensino em grupos de redes sociais, e claro, de alunos que buscam concluir os estudos por meio do sistema Eja. Os profissionais da educação reiteram que, em certos casos, o parte do público do EJA não possui habilidades ou aparelhos tecnológicos nas residências, resumindo, muitos alunos não possuem computador e internet em suas casas.

“A maioria dos alunos do EJA não têm acesso a computadores em casa, não possuem internet e não detém de conhecimentos tecnológicos suficientes”, diz uma professora. ”Nem mesmo as escolas têm uma rede boa e computadores suficientes”, completa.

Em contrapartida, a Seduc afirma “que erros de ortografia podem ter ocasionado o mal entendido em relação à portaria”. E que apenas serão suspensas as turmas em alguns colégios. Isso porque o contrato para oferecer a modalidade chega ao fim. A secretaria diz, ainda, que turmas não serão suspensas, mas haverá uma ampliação quanto às modalidades de ensino, que passarão a ser além de presenciais, também à distância.


EM CATALÃO HOUVE PROTESTO DE ALUNOS

Em Catalão, protesto foi realizado na porta do Colégio de Ensino de Jovens e Adultos Alzira de Souza Campo (Ceja) na última sexta-feira (09/08). Foto: Reprodução 

Na noite da última sexta-feira, 09 de julho, alunos do sistema de Ensino de Jovens e Adultos (EJA) do Colégio de Ensino de Jovens e Adultos Alzira de Souza Campo (Ceja), realizaram um protesto contra a implantação do novo sistema adotado pela Secretaria Estadual de Educação de Goiás.

A aluna Stefania Mota, disse que até a última quarta-feira , ela e os demais alunos estavam estudando normalmente no sistema de Ensino de Jovens e Adultos (EJA), em aulas de corpo presente, e quando foi na última quinta-feira , ao chegarem na sala de aula, os alunos foram chamados para uma conversa com a direção, que comunicaram que eles não mais estavam matriculados, e que a partir dessa semana, seriam abertas as matrículas para o novo método, que é o sistema EAD, ensino a distância, explicando ela que apenas um dia da semana teriam aula presencial, e nos demais dias, eles estudarão em casa.

 O motivo da manifestação, segundo a aluna, seria por decorrência deles não terem sido avisados com antecedência.

Outro grande problema desse novo sistema a ser adotado pela Secretaria Estadual de Educação do Estado de Goiás, segundo a aluna, é com relação a estrutura do laboratório de informática do Colégio Ceja, onde segundo, ela, existem apenas 4 computadores para uma demanda bem superior.

Outra informação que apuramos, é que esse sistema de ensino a distância para o método de Ensino de Jovens e Adultos (EJA), a primeiro momento seria aplicado para os alunos que estão em conclusão do ensino médio, o que deve ocorrer posteriormente para os que os alunos que buscam a conclusão do ensino fundamental. Outra informação que obtivemos, é que o novo sistema será implantado apenas nos cerca de 9 centros de ensinos de jovens e adultos em Goiás, mas que será implementado nas demais unidades educacionais gradativamente.

Nossa produção enviou nota para a Secretaria Estadual de Educação do Estado de Goiás, mas até a publicação da matéria, nossa solicitação não havia sido respondida.


Escrito por: Badiinho Filho