• 64 99927 3817
anuncie

24 de maio de 2019

AO DESVIAR DE BURACO NA GO 330, MOTORISTA SAÍ DA PISTA E CAÍ EM RIBANCEIRA; ACIDENTE ACONTECEU ENTRE IPAMERI E URUTAÍ NA ÚLTIMA QUINTA (23), DEIXANDO O CONDUTOR DO VEÍCULO FERIDO

Por volta das 10h45 de ontem, quinta-feira (23), na rodovia GO 330, entre Ipameri e Urutaí, Km 120, militares do 9º Batalhão de Bombeiro Militar de Ipameri-GO, atenderam uma ocorrência de saída de pista de um veículo de passeio, com vítima.

Após tentar desviar de um buraco na pista, condutor do veículo perdeu o controle e caiu em uma ribanceira. Foto: Divulgação CBMGO/Reprodução


Segundo o condutor reportou aos Bombeiros, o fato ocorreu após ele tentar desviar de um buraco existente no meio da via. Quando o resgate chegou no local, a vítima, um jovem de 29 anos, condutor do veículo, estava deitada às margens da rodovia, consciente, queixando-se de dores na cabeça e contusão no membro superior direito, que após a sua imobilização, foi conduzido ao Pronto Socorro do Hospital Municipal de Ipameri.

DECISÃO JUDICIAL PEDE QUE RECUPERAÇÃO DA GO 330 SEJA FEITA EM 180 DIAS

Fotos: MP-GO/Reprodução

Uma ação do Ministério Público do Estado de Goiás (MP/GO), apresentada e acatada pelo Poder Judiciário no mês de abril, determina que a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) iniciasse em até 30 dias a reforma da GO-330, de Pires do Rio a Urutaí e de Urutaí a Ipameri. O prazo dado pelo juiz José Reis Lemes para a conclusão das obras de melhorias é de 180 dias e, caso não seja acatada, a pena é o pagamento de multa diária no valor de R$ 10 mil. 

A ação foi proposta em conjunto pelas Promotorias de Justiça de Urutaí, Ipameri e Pires do Rio. O pedido foi feito no início de abril e a decisão foi publicada no dia 22 de abril. Na ação, os promotores apontam que a via é importante para a região, inclusive para transporte de cargas, mas que também é bastante utilizada por transporte escolar, ambulâncias e tráfego da região em geral. 

A resposta apresentada pela Goinfra ao Ministério Público na época dos questionamentos foi que a rodovia segue sem contrato de manutenção desde 2018 e autarquia está elaborando termo de referência para futura contratação de serviços. Por não ter apresentado cronograma de etapas da reforma, o MP-GO buscou a justiça para fazer “fazer com que a pasta cumpra seu dever”. Os autores da ação informaram no documento encaminhado à justiça que desde janeiro deste ano, o asfalto da rodovia tem sofrido deterioração cada vez maior, com diversos buracos de grandes proporções. 

A nova gestão da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra) informou que não tem medido esforços para manutenção das rodovias e tem adotado medidas para solução dos problemas existentes, advindos da falta de manutenção do governo anterior. 

A pasta também informa que os resultados das parecerias com as prefeituras, por meio de Termo de Cooperação, têm sido positivos com frentes de trabalho em várias regiões do Estado. Mais de 80 prefeituras já assinaram o termo, o que é bem visto pela gestão da agência. 

Um trecho desta mesma via já passou por reparos dentro desse modelo de cooperação neste ano. Entre Santa Rosa e Petrolina de Goiás, os reparos foram realizados no último mês. Neste caso, as prefeituras compraram o material necessário para o serviço e a Goinfra fornece o maquinário, técnicos e operários para a realização dos serviços. 

 

Escrito por: Badiinho Filho