• 64 99927 3817
anuncie

15 de maio de 2019

MINERADORA DE FOSFATO INSTALA MAIS SIRENES EM ZONA RURAL DE CATALÃO PRÓXIMAS A BARRAGEM DE REJEITOS

Foto: TV Anhanguera/Reprodução

A empresa Mosaic Fertilizantes, mineradora do município de Catalão responsável pela extração de fosfato, instalou três novas torres de alerta sonora, em caso de um possível rompimento da barragem de rejeitos e faz parte do Plano de Ação de Emergências para Barragens, cujo o objetivo é verificar se todos os moradores dentro de um raio de 5 km conseguem o alerta.

As sirenes foram instaladas em toda área (zona rural) que pode ser atingida em caso de rompimento. Três equipamentos já estariam funcionando desde o mês passado, agora mais três foram instalados.

Em caso de um eventual rompimento da barragem que por sinal está interditada desde o início do mês de abril, devido a empresa não ter apresentado a documentação que comprova a instabilidade da barragem junto a Agência Nacional de Mineração (ANM), as pessoas serão avisadas pelas mensagens sonoras e deverão evacuar as áreas utilizando as chamadas rotas alternativas de fuga.

Com testes, quem mora perto da barragem, está conseguindo ouvir perfeitamente o sistema sonoro. “Deu para escutar em alto e bom som, pois eu estava dentro de casa escutando o rádio e está bem alto, agora está dando para escutar”, disse a produtora rural, Mayara Nascimento em entrevista a equipe da TV Anhanguera.

A preocupação com as barragens de rejeitos aumentou bastante após as duas tragédias que aconteceram em Minas Gerais (Mariana 2015 e Brumadinho janeiro de 2019).

A Agência Nacional de Mineração (ANM), exigem que as empresas reforcem não só o sistema de monitoramento das barragens, mas também instalem equipamentos sonoros para que as pessoas que serão afetadas em um eventual rompimento, tenham ao menos uma chance de tentar fugir.


MINERADORA TEVE BARRAGEM INTERDITADA

Foto: TV Anhanguera/Reprodução

No início do mês de abril, a Agência Nacional de Mineração (ANM) interditou a barragem de rejeitos dessa mesma mineradora, por ela não ter apresentado no tempo certo, os laudos técnicos que comprovam a instabilidade da barragem junto ao órgão. A Mosaic Fertilizantes, em um primeiro momento, afirmou que a barragem não oferecia riscos de rompimento e afirmou que pediu um novo prazo para apresentar a documentação, mas poucos dias depois, acionou o Plano de Ação de Emergência para Barragens (PAEBM) e paralisou parcialmente sua produção. Clique aqui e leia matérias relacionadas ao tema.

Assista a reportagem: 

Escrito por: Badiinho Filho/Com informações da TV Anhanguera