• 64 99927 3817
anuncie

15 de maio de 2019

ESTUDANTES, PROFESSORES E PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO REALIZARAM MANIFESTAÇÃO EM CATALÃO CONTRA CORTES NO ORÇAMENTO; ASSEMBLEIA UNIVERSITÁRIA TAMBÉM FOI REALIZADA

Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Estudantes universitários da Universidade Federal de Catalão/UFCAT e do Instituto Federal Goiano (IFGOIANO), fizeram uma manifestação pacífica na manhã desta segunda-feira (15), que segundo informações dos seus organizadores reuniram cerca de 700 pessoas, já a polícia fala em 500 pessoas.

Os manifestantes se reuniram em dois pontos da cidade, sendo na porta da UFCAT, na Avenida Dr. Lamartine Pinto de Avelar e no IF Goiano, localizado na Avenida 20 de agosto, próximo ao Colégio Nossa Senhora Mãe de Deus.

Os dois grupos seguiram em caminhada pelas ruas da cidade até se encontrarem na Praça Marca Tempo, na Avenida José Marcelino, onde os manifestantes e os diretores das duas instituições fizeram seus pronunciamentos. 

As manifestações se deram, após o anúncio feito pelo Ministério da Educação e Cultura, de cortes nas verbas repassadas as instituições federais do país. Segundo os diretores das instituições, eles temem que os recursos sejam insuficientes para terminarem o ano letivo, como no caso do IF Goiano, que confirmou a funcionalidade da instituição será assegurada até o mês de setembro.

O corte no orçamento da Universidade Federal de Catalão/UFCAT, foi de mais de 4 milhões de reais. A universidade tinha um orçamento previsto de mais de R$ 11 milhões, segundo reportagem da TV Anhanguera.


ASSEMBLEIA FOI REALIZADA NA UFG/REGIONAL CATALÃO

Contando com a presença de alunos e docentes da UFG/Regional Catalão, uma Assembleia Universitária foi realizada na noite da última terça-feira (14), com o objetivo de informar a comunidade acadêmica sobre a verdadeira situação da Universidade Federal de Goiás (UFG/Regional Catalão).

De acordo com a diretora, Roselma Lucchese, algumas estratégias já estão sendo traçadas para tentar amenizar o corte do orçamento.

“O momento é preocupante, os cortes que estão previstos desse bloqueio são muito grandes, e eles inviabilizam o funcionamento da universidade pública, sobretudo a Universidade Federal de Catalão (UFCAT). Esse momento é  de mobilização interna, mobilização da comunidade universitária, para que a gente tenha espaço de discutir, debater e nos informar sobre o problema, e a partir disso, nos traçarmos estratégias para que a gente possa fazer o enfrentamento do problema, porque é um problema muito grave”, destacou Roselma em sua entrevista.

Edward Madureira Brasil, Reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG), participou de Assembleia Universitária em Catalão na noite da última terça (14). Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O Reitor da UFG, Edward Madureira Brasil,  disse em seu discurso que até o final do ano, que as 63 Universidades Federais no país, não irão conseguir finalizar o ano letivo, devido ao corte no orçamento de 30%, determinado pelo MEC, previsão essa que incluí a UFCAT.

“Nós já partirmos de uma restrição orçamentária que vem de quatro anos consecutivos, com orçamentos insuficientes para o funcionamento de 2019, e ainda com um corte de 30%, ou seja, isso inviabiliza completamente o funcionamento da universidade até o fim do ano. A gente tem a certeza que consegue começar o segundo semestre, mas temos também a certeza que não consegue terminar o segundo semestre, se caso essa situação não for revertida”, revelou o Reitor da UFG, Edward Madureira.

Em todo o país são mais de 2 milhões de alunos que podem ser prejudicados. A produção científica das Universidades também ficaram altamente comprometidas. Veja a reportagem abaixo:  

Escrito por: Badiinho Filho/Com informações da TV Anhanguera