• 64 99927 3817
anuncie

25 de fevereiro de 2019

MORADORES DOS SETORES DONA MATILDE, FLORENÇA E VILA MARIA PEDEM QUE SMTC FAÇA ESTUDOS PARA MELHORAR ACESSO AOS BAIRROS; ÓRGÃO DISSE QUE SITUAÇÃO SE AGRAVOU POR AUMENTO DE TRÁFEGO DE CAMINHÕES

O Blog do Badiinho recebeu nestes últimos dias, inúmeras mensagens através do nosso Whatsapp (64- 9 9927-3817) de moradores dos Bairros Vila Maria, Dona Matilde e Florença, os quais se queixam do trânsito conturbado e caótico que está na entrada deste três setores.

Foto: enviada por internauta/Reprodução Whatsapp

Segundo estes moradores, ele pedem que a Superintendência Municipal de Trânsito de Catalão (SMTC), realizem novos estudos no local e reconsidere a decisão de deixar a Rua Professor Paulo de Lima (Rua da entrada dos alunos do Cesuc), em via de mão única.

A queixa é que com a Rua Paulo de Lima sendo mão única, os moradores do Setor Dona Matilde, para acessar o bairro, contam apenas com uma via, que é pela Avenida Presidente Médici (Avenida da Pecuária). O problema é que esses moradores somados aos do Dona Florença e Vila Maria, mais o trânsito pesado dos caminhões do Posto Comboio, faz com que a situação fique mais crítica principalmente pela manhã, horário que é registrado maior fluxo de caminhões adentrando e saindo do Posto Comboio.

O aumento de fluxo no local acima citado, têm causado muitos congestionamentos e que se agrava quando um caminhão ali estraga. Segundo os usuários, a situação está gerando descontentamento geral, aborrecimentos e riscos eminentes de acidentes, principalmente para os motociclistas que dividem espaço do caminhões e carros de passeios.

Na semana passada procuramos a SMTC que disse o seguinte sobre essa situação: “O problema é que aquela via (Rua Professor Paulo de Lima) não comporta o fluxo de veículos, principalmente quando a noite, horário que os alunos do Cesuc entram e saem da unidade. No entanto, o problema se agravou nestes últimos dias, em função de um acréscimo de caminhões no Posto Comboio, e quase todos os dias temos que encaminhar equipes para fazer o desbloqueio da via, afirmando que o pátio do Posto Comboio não comporta a quantidade de caminhões que são obrigados a acessar o Posto, pois é lá que eles manifestam notas para adentrarem em várias empresas, tais como mineradoras, o que segundo o órgão é o gerador dos transtornos.

 

Escrito por: Badiinho Filho