• 64 99927 3817
anuncie

12 de fevereiro de 2019

“ENTREGAMOS A FESTA DO ROSÁRIO COM SALDO POSITIVO”, DISSE MARCÃO DA CORUJA, FESTEIRO DE 2018; LUCRO FOI DE POUCO MAIS DE R$ 2 MIL REAIS

Que tal responder uma pesquisa rapidinho? Clique aqui sua opinião é muito importante!
Dos R$ 2.442,31 de lucro, R$ 484, 46 foram para Paróquia São Francisco de Assis, restando apenas R$ 1.937,85 restaram para a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário. Foto: TV Anhanguera/Reprodução

O festeiro da Festa em Louvor a Nossa Senhora do Rosário 2018, Marcos Inácio, disse em entrevista à TV Anhanguera de Catalão, que apesar da lucratividade ter sido baixa, entregou a festa com saldo positivo.

Na mesma entrevista, o festeiro culpou o lucro baixo as empresas que não patrocinaram a festa, que segundo ele, sem citar os nomes de tais empresas, teriam retirado cerca de R$ 30 mil reais de patrocínio de última hora.

Na prestação de contas apresentada, não consta nas descrições, especificações dos valores arrecadados com patrocínios, tanto de empresas quanto do Poder Público Municipal. Diferentemente dos anos anteriores, também não foi especificado os valores investidos em publicidades, tais como divulgação da festa em emissoras de rádios, TVs, jornais impressos e online, fotógrafos e cinegrafistas.


Insatisfação

Leonardo Costa Bueno, presidente da Irmandade Nossa Senhora do Rosário. Foto: TV Anhanguera/Reprodução

Leonardo Costa Bueno, que preside a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário, demonstrou muita insatisfação com as contas apresentadas.

“A gente sabe que teve algumas dificuldades encontradas pelo festeiro de angariar recursos, mas sabemos que teve uma festa durante 10 dias, têm a contrapartida, e algumas despesas que não precisavam acontecer, infelizmente aconteceram. Agora é levantar a cabeça, dar continuidade ao trabalho que a gente ainda têm nos próximos dois anos. Já fizemos uma reunião na semana passada, vamos fazer uma outra nessa semana, e assim começar a fazer os eventos pela diretoria da Irmandade. Podem ter certeza que nesses próximos dois anos alguma mudança vai acontecer, e quero assumir uma responsabilidade perante a população, e se a Irmandade e as Congadas aceitarem, assumirei o compromisso de um dia poder realizar a Festa em Louvor a Nossa Senhora do Rosário”, disse Leonardo Bueno em sua entrevista.

O fraco desempenho financeiro da festa, desagradou também, vários capitães de ternos de Congo.

Cristóvão Luiz, Capitão de terno de Congo. Foto: TV Anhanguera/Reprodução

“Esse recurso que o festeiro passa, além de ajudar os dançadores carentes, também ajuda a manter a Igreja de Nossa Senhora do Rosário durante o ano inteiro, com material de limpeza, pagamento de uma pessoa para poder olhar a igreja. Então, esse dinheiro que foi repassado para nós, há um sentimento de cobrar mais do festeiro, ficar junto, ajudar o festeiro, fazer a festa junto com ele, para termos um recurso melhor e uma maneira de manter a igreja durante o ano também. Além de permitir que Irmandade  possa continuar ajudando os dançadores carentes de nossa cidade”, disse Cristóvão Luiz, que é Capitão de Terno de Congo.

Assista a reportagem da TV Anhanguera

 

Escrito por: Badiinho Filho