• 64 99927 3817
anuncie

11 de fevereiro de 2019

EM CURITIBA-PR, NA CHAMADA TERRA DA CIVILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO, ARTISTA DE CATALÃO É MALTRATADO E HOSTILIZADO COM CHUVA DE OVOS

Que tal responder uma pesquisa rapidinho? Clique aqui sua opinião é muito importante!
Camilo Santos, 27 anos de idade, conhecido como Santú, Saxofonista, catalano leva o nome de Catalão para várias cidades brasileiras com o seu Projeto Santú – Artista de Rua. Foto: Facebook/Reprodução

O músico saxofonista catalano, Camilo Santos, popularmente conhecido como Santú, está rodando o país inteiro, visitando várias capitais e cidades metropolitanas na apresentação de seu projeto, que é o Santú-Projeto Artista Urbano, onde ele toca nas ruas para que as pessoas conheçam o seu trabalho belíssimo, que é o de tocar com maestria o Saxofone. 

Nessas andanças pelo Brasil, ele jamais esperava passar por uma situação desagradabilíssima em Curitiba, capital do estado do Paraná, tida como uma terra de gente civilizada e educada, e como o próprio Camilo disse em sua reportagem do Balanço Geral de lá, nós faz repensar quanto as impressões para com os curitibanos. 

É que no dia 04 de fevereiro, segunda-feira da semana passada, o talento catalano estava em Curitiba-PR para dar apoio aos artistas de rua, que começaram uma campanha em protesto a um Decreto Municipal que limita o número de artistas de rua na capital paranaense.

Durante essa visita, o músico se apresentou na porta de uma agência bancária de lá, foi quando o dono de um restaurante da Rua Marechal Deodoro, o contratou para que ele se apresentasse na porta de seu estabelecimento para atrair clientes.  Contratado para 2 horas de apresentação, às 11h40 da manhã, Camilo Santos começou a ser hostilizado por um policial aposentando que mora em um prédio ao lado do restaurante, que pediu para que ele parasse de tocar, o que obviamente não foi e nem poderia ser atendido pelo músico, pois afinal ele não estava cometendo ali um crime, e sim ganhando seu dinheiro honestamente, e foi quando o homem entrou para o prédio e da sacada de seu apartamento, começou a atirar ovos no músico, que não acertou exatamente no músico, mas sim em várias pessoas que passavam pelo local, além de ter sujado os equipamentos do trabalhador. 

O fato se tornou caso de polícia, que teve que ser acionada para conter o mal-humor do policial aposentado, e assim o músico pudesse fazer o seu trabalho. 


Repercussão 

O caso absurdo, o assunto das ovadas no músico goiano na terra de Sérgio Moro, e na “chamada capital da civilização”, repercutiu em vários veículos de comunicação de Coritiba, como emissoras de rádios, sites e até no Balanço Geral de lá da Rede Record de Televisão, o que foi reproduzido por outros canais, inclusive na Band News. 

Chama atenção pelo o que disse o Saxofonista Camilo Santos, a equipe do Balanço Geral de Curitiba: “Aqui eu me surpreendi, porque em Goiás, de onde vim, a gente defende Curitiba e o Estado do Paraná, porque a gente têm uma visão diferenciada de vocês, onde não se joga lixo na rua, a gente enxerga isso. Onde também a gente achava que arte teria mais apoio, e não foi bem isso que aconteceu, porque o fato que trouxe até aqui (Curitiba-PR), foi justamente um abaixo assinado que rola para retirar os músicos da Rua 15, foi por esse motivo que vim aqui, para dar uma força para a galera. Se a música espanta os males, não espante a música, se você não afim de ouvir música, você precisa sim ouvir música, pois se você está com algum problema, a música vai te ajudar”, disse Camilo Santos a equipe da Rede Record da capital paranaense. 

Assista a reportagem: 

Sobre o Santú – Projeto Artista Urbano 

O Saxofonista Camilo Santos – Santú, explicou sobre este projeto de tocar nas ruas, que segundo ele, não visa somente lucros financeiros, mas sim buscar uma lei especifica para valorização e reconhecimento dos artistas de rua.

O Projeto Santú – Artista Urbano foi inciado em novembro de 2017, quando o músico teve a ideia de tocar nas ruas, apesar de se sentir meio que constrangido, pois ele sabia que ele se abriria a críticas. Mesmo sem saber se seria bom ou ruim para a sua carreira, ele começou a tocar na porta da agência da Caixa Econômica Federal da Av. 20 de agosto, em Catalão, desenvolvendo também o projeto para as cidade Anápolis-GO,  Araguari-MG e Uberlândia-MG, ou seja, cidades mais próximas a Catalão, e foi quando ele notou que o projeto dava grande visibilidade, onde melhorou inclusive sua fala, e resolveu expandir seu projeto para outras cidades maiores. 

O artista revelou também, que o foco principal do Projeto Santú-Artista de Rua, é conseguir uma lei que diferencie o artista urbano, englobando todos os artistas de rua, e não somente os músicos. Essa lei que ele tanto sonha, é para que sejam diferenciados entre pedintes e de vendedores ambulantes, e por isso ele resolveu iniciar as suas andanças Brasil afora, porém, de uma forma organizada. Segundo Camilo, ele busca informações das cidades antes de deslocar-se para o local escolhido, para tocar em pontos não tão estratégicos, deixando de lado, o foco que muita gente acha que é somente pelo fato de se ganhar dinheiro, o qual ele afirma que o projeto tem o foco mais emocionante, com muitas histórias. 

Ao todo, o Saxofonista Catalano disse que já visitou de 2017 para cá, cerca de 35 cidades, entre capitais e cidades de Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 

Outro intuito do projeto do músico, é deixar de lado aquele enigma de que somente músicos ouvem músicas instrumentais, levando o som do  Saxofone para variados tipos de público, os quais ele classifica que não teriam condições de por exemplos de ir em restaurantes e istros, onde geralmente ele é contratado para se apresentar. 

Sobre sua agenda, Santú Saxofonista está do dia 12 até o próximo dia 18 de fevereiro estará em Catalão, onde desenvolverá seu projeto na porta do Reis Supermercado e na Avenida 20 de agosto.  

Outra novidade é que o artista catalano está com sua agenda voltada para Norte Nordeste do Brasil, onde está com viagens programadas ainda para este semestre para Bahia, Maceió-AL, Maragogi-AL, dentre outras.  

 

Escrito por: Badiinho Filho