• 64 99927 3817
anuncie

10 de janeiro de 2019

CAIADO PEDE PARA PREFEITOS AVALIZAREM SERVIDORES DO ESTADO COM DONOS DE SUPERMERCADOS E FARMÁCIAS; COBRANÇA DE ISPAGO DE DEZEMBRO NÃO SERÁ FEITA

Pedido de ajuda para prefeitos avalizarem servidores do estado em supermercados e farmácias do interior, foi feito em visita a Jataí. Foto: Reprodução

Em Jataí, o Governador do Estado de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), pediu para que os prefeitos das cidades do interior, avalizem os servidores públicos estaduais em supermercados e farmácias para que eles possam realizarem suas compras e pagarem assim que o pagamento do mês de dezembro for efetivado. Porém, Caiado ainda não apresentou uma data de quando o pagamento referente ao mês de dezembro será feito. Ouça o áudio: 

No início da noite, a assessoria do Governador, enviou nota de que o Governo de Goiás anunciou novas medias para que o sofrimentos dos servidores sejam amenizados, Leia a nota na íntegra abaixo: 

 

Governador anuncia medidas para amenizar sofrimento do funcionalismo

O governador Ronaldo Caiado anunciou nesta quinta-feira, 10/1, em Jataí, a 327 km de Goiânia, medidas emergenciais para socorrer o funcionalismo público que sofre com o atraso dos salários do mês de dezembro. A dívida não empenhada e não paga pelo governo anterior deixou milhares de famílias em situação difícil.

Além de propor parceria com prefeitos para avalizar que donos de supermercados e farmácias aceitem que funcionários públicos façam compras que só serão pagas após a quitação dos salários atrasados, Ronaldo Caiado disse que determinou o cancelamento da cobrança do Ipasgo no mês de dezembro. Até o recebimento dos salários de janeiro, que começam a ser pagos no próximo dia 25, os servidores não vão pagar juros ao quitar multas e taxas do Detran. O mesmo vale para as contas da Saneago. Sobre as contas de luz cobradas pela Enel, o governador lamenta a venda da Celg e disse que não tem qualquer poder de suspender multas dos servidores. “Nos solidarizamos com os funcionários públicos e vamos corrigir essa injustiça que o governo anterior cometeu contra eles ao não pagar seus salários”, disse.

 

Escrito por: Badiinho Filho/Com informações da assessoria do Governador