• 64 99927 3817
anuncie

27 de novembro de 2018

Moradores do Pontal Norte prometem se unir com população do Castelo Branco para nova manifestação

Moradores do Pontal Norte realizaram manifestação e impediram por mais de 1 hora trafego na BR 050 no último dia 14 de novembro. Foto: Badiinho

Os moradores do bairro Pontal Norte que em parceria com a Associação de Moradores, paralisaram a rodovia federal BR 050 por mais de 1 hora no último dia 14 de novembro, cobrando esclarecimentos da concessionária MGO Rodovias, detentora da concessão e responsável pelas obras de duplicação da BR 050, já concentradas no município de Catalão, prometem novo ato.

Desta vez, a promessa de nova ação de protesto será no trevo de acesso ao Castelo Branco e outros 10 setores adjacentes, os quais também sofrerão impactos com as obras de duplicação da rodovia federal.

Sem data prevista, moradores do Pontal Norte prometem se unir com população do bairro Castelo Branco e outros 10 setores adjacentes para novo ato de manifesto. Foto: Drone Super Catalão – Blog do Badiinho

Segundo o presidente da Associação de Moradores do bairro Pontal Norte, Ney Edvaldo, “eles estão aguardando a resposta da MGO e, dependendo dela, iremos fazer sim novas manifestações até que a comunidade seja ouvida”, disse ao Blog, Ney Edvaldo.

Cinco dias após o protesto dos moradores do Pontal Norte, a empresa disse que contratou uma empresa com anuência da Agência Nacional de Transportes Terrestres para a realização de Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA), para adequação das obras de duplicação da BR 050 de acordo com a realidade atual, pois segundo eles, o projeto original é de 2012, e não atende mais as necessidades da população de Catalão.

Quanto aos trevos de acesso, especificamente no trevo do Pontal Norte, alvo de protestos no último dia 14 de novembro, a MGO disse que o anteprojeto (projeto funcional) com as alterações propostas ao projeto original, elaborado pela MGO Rodovias, com a participação e concordância da Prefeitura Municipal de Catalão, contempla um acesso da rodovia ao bairro, o que não havia no projeto original. Leia nota:

Duplicação da BR-050 em Catalão – Nota complementar de esclarecimento

A MGO contratou uma empresa terceirizada, com anuência ANTT, para realizar um Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental – EVTEA com o objetivo de adequar as obras de duplicação da BR-050 à realidade atual (o projeto original é de 2012) e assim atender melhor às necessidades atuais das comunidades locais. A MGO pediu e recebeu informações das secretarias municipais de planejamento sobre plano diretor dos municípios e projetos de desenvolvimento urbano para subsidiar o estudo. Assim, os projetos executivos de obras mais complexas, no perímetro urbano de municípios como Catalão e Cristalina, por exemplo, poderão ser alterados, caso seja aprovados pela ANTT, a quem já foi entregue o estudo.

Para tranquilizar os moradores do município e, particularmente do Bairro Pontal Norte, esclarecemos que o anteprojeto (projeto funcional) com as alterações propostas ao projeto original, elaborado pela MGO Rodovias, com a participação e concordância da Prefeitura Municipal de Catalão, contempla um acesso da rodovia ao bairro, o que não havia no projeto original. O estudo com as alterações propostas (não só essa) está sendo analisado pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, que regula e fiscaliza o contrato de concessão, a quem cabe aprovar ou não as mudanças propostas. Somente após o parecer da ANTT poderemos dar informações adicionais, inclusive sobre o prazo de execução da obra de duplicação nesse trecho da rodovia (início e fim).

O Blog do Badiinho solicitou nova atualização das informações referente ao tema, mas até a publicação desta matéria nossa solicitação não havia sido respondida pela assessoria da MGO Rodovias.

Leia também:

Moradores do bairro Pontal Norte realizam manifestação e interditam BR 050 por mais de 1 hora

MGO afirma que Pontal Norte será contemplado com acesso; informações só serão repassadas após ANTT aprovar alterações no projeto inicial

Escrito por: Badiinho Filho