Blog do Badiinho

Pular para o conteúdo

Detran-GO vai emitir 100 mil CNHs Digitais até o fim do ano


CNH Digital/Foto divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) anunciou que deve emitir cerca de 100 mil unidades da Carteira Nacional de Habilitação Eletrônica (CNH-e) até o fim de 2017. Ás solicitações para emissão do novo modelo, conhecido como CNH Digital, já estão desde a quarta-feira (11) a todos os condutores no Estado de Goiás. Até o dia 31 de dezembro, a requisição é gratuita. A partir de 2018, o serviço terá custo de R$ 10.

A CNH Digital foi lançada na terça-feira (10), em Brasília e, neste primeiro momento, vai funcionar somente em Goiás. A previsão o governo federal é que o documento virtual seja oferecido em todo o Brasil até fevereiro próximo.

Segundo o diretor de operações do Detran-GO, Francisco de Assis Peixoto, podem fazer a solicitação do documento digital aos condutores que já possuem a CNH com QR Code, que estão sendo emitidas desde o mês de maio.

Quem tem documento sem o código, só terá acesso ao benefício em caso de revalidação ou alteração cadastral, como mudança de categoria, por exemplo.

“Nossos sistemas já estão prontos para atender qualquer pessoa. Nós já tivemos demanda de pessoas procurando pelo serviço hoje, mais ainda não é possível fazer um balanço, pois são vários locais que confeccionam a CNH em todo o Estado”, explica Francisco de Assis.

Em Goiás, a taxa da emissão da renovação da CNH impressa é de R$ 133,25. Para a primeira habilitação impressa, o valor cobrado é de R$ 189,91. A cobrança nos demais Estados, quando eles passarem a oferecer o recurso, dependerá de cada Detran.

Dúvidas

 

Como obter a CNH?

-Primeiro passo é cadastrar-se no Portal de Serviços do Denatran;

-Ir ao Detran onde foi emitida a CNH impressa para confirmar seus dados (quem optar por usar um certificado digital, que é pago, pode fazer todo o processo online);

-Baixar o aplicativo por meio de um código de ativação que o Denatran enviará por e-mail aos usuários inscritos, quando o estado disponibilizar a CNH digital;

-Criar uma senha de 4 dígitos para acessar o documento no celular.

Ela vai valer tanto quanto a CNH física?

-Sim. Segundo o Ministério das Cidades, a CNH digital será uma versão do documento com o mesmo valor jurídico da CNH impressa.

Qual é o aplicativo da CNH digital?

Ele pode ser encontrado pela busca por CNH digital nas lojas da Apple do Google (para aparelhos Android). Cuidado com os falsos aplicativos: este é gratuito para baixar e nele está escrito o nome do Serpro (Serviço de Processamento de Dados), que desenvolveu o sistema.

 

E se não tiver sinal de internet ou wi-fi onde o guarda pedir a minha CNH?

Não há problema. De acordo com o Denatran, será necessária conexão com a internet somente no primeiro acesso, depois, a CNH estará disponível off-line. O acesso é feito com uma senha de 4 dígitos, afirma o Serpro.

A CNH digital é segura? E se roubarem meu celular?

O Ministério das Cidades afirma que há um conjunto de padrões técnicos para suportar um sistema criptográfico que assegura a validade do documento.

A autenticidade da CNH digital poderá ser comprovada pela assinatura com o certificado digital do emissor (Detrans) ou com a leitura de um QRCode, mas isso não quer dizer que será preciso ter sinal de internet para acessar o documento.

Para visualizar a CNH digital, sempre será necessária uma senha de 4 dígitos para abrir CNH digital, diz Serpro.

Caso o smartphone com a CNH digital seja roubado, o usuário deverá bloquear o documento. Se tiver o certificado digital, ele poderá entrar no Portal de Serviços do Denatran e solicitar o bloqueio remoto. Caso contrário, terá que ir até algum posto do Detran.

“É positivo. Se eles baixam demais a segurança no bloqueio, por exemplo, alguém que rouba sua senha poderia invalidar sua CNH digital enquanto você está numa viagem e te causar uma série de problemas. Então, faz sentido que esse tipo de solicitação exija uma segurança adicional”, diz Altieres, especialista em defesas contra ataques cibernéticos.

 

Escrito por: Redação/Fonte: Jornal O Popular

Foto: Reprodução/

 

 

 

Compartilhar com amigos